Falando da profissão modelo

Giu Martins / 24/02/2018 - 00h00

São muitas as perguntas a respeito da profissão de modelo. Entendemos as inúmeras dúvidas, pois neste ano a profissão completa apenas 40 anos que foi regulamentada em nosso país. Sendo assim, resolvemos publicar hoje alguns detalhes que possam solucionar essas dúvidas ou até mesmo acabar com alguns mitos. Apesar da profissão de modelo não ser fácil, ter grande concorrência e diversas exigências, o mercado cada vez mais abre as portas para novos profissionais. Em alguns casos, o perfil “alta, magra e idade baixa” caiu por terra com a entrada do comércio “plus size” e terceira idade. Hoje, é possível encontrar todos os tipos de profissionais, executando diversos trabalhos de mídia e se dando bem na carreira. 

Para quem pretende apostar na profissão de modelo, o primeiro passo é buscar uma agência de verdade (tomar muito cuidado e não cair em contos). “As agências são o ponto de partida para qualquer aspirante à profissão. Se você pretende seguir na carreira de modelo, é importante saber que beleza apenas não adianta. Uma agência pode dirigir sua carreira, passar orientações e conselhos para que você sobressaia”. O book vem depois, pois normalmente, as agências podem pedir para refazê-lo, caso já o tenha e principalmente se a qualidade não for como necessária. Hoje em dia, podem ser contratados modelos bebês acima de 3 meses e até a terceira idade. “Não tem um limite. Hoje o mercado está diverso. Mas os menores têm que ser acompanhados pelos pais, sempre”.

Cada modelo possui um perfil diferente, mas existem dois principais: o comercial e o fashion. Na profissão “comercial”, os modelos não tem necessidades de medidas exatas como peso, altura ou idade, porque existem produtos para os mais diferentes perfis que estas pessoas fotografam, fazem propagandas televisivas, revistas, etc. O único que ainda exige um perfil de medidas é o “fashion”, que são modelos de passarela. “Tirando as exceções, como marcas plus size, ou mercado da terceira idade, a modelo de passarela, em sua grande maioria, ainda exige um perfil com medidas exatas, como altura, peso e idade apropriados para a profissão”, principalmente em grandes centros. A quem se destaque no Brasil, durante trabalhos comerciais ou fashions, ainda existem os convites internacionais. Neste caso, a agência avalia mais do que simplesmente sua aparência. “Avaliamos o comportamento da modelo, acompanhamos a contratação e também indicamos para as agências nacionais e internacionais que se destacam no Brasil”.

Os concursos também podem ser a chance de entrada no mercado de trabalho com o pé direito. Brevemente a Quality Models estará proporcionando a jovens talentos a oportunidade de se tornarem conhecidos através de concursos de beleza em parceria com importantes empresas da cidade. Mas enquanto isso não acontece, a melhor opção é procurar a agência e se matricular no curso que acontecerá no próximo final de semana, como fizeram alguns de nossos modelos de sucesso internacional indiscutível. 

Publicidade
Publicidade
Comentários