Tempo de celebrar

Gente e Ideias / 14/02/2018 - 18h02

A Primeira Igreja Batista (PIB) de Montes Claros celebra durante o mês de fevereiro o seu centenário. No último dia 4, o convidado foi o pastor Francisco Mancebo Reis, de Belo Horizonte. Neste sábado, 17, a programação se inicia às 19h30m, com uma sessão solene com a presença de convidados, famílias que serão homenageadas e autoridades na rua General Carneiro, 254, Centro. Em seguida haverá culto de gratidão com a presença do pastor Josué Mello Salgado, de Brasília, doutor em Teologia pela Universidade de Hamburg, na Alemanha.

“Recebi com muita alegria o convite para pregar no Centenário da PIB em Montes Claros. Cem anos na história de uma Igreja são um marco e trazem muitas lutas, desafios, mas, sobretudo, vitórias pela boa mão do Senhor. Se Deus permitir, será um prazer, uma honra e um privilégio participar juntamente com outros colegas deste marco de vitória!”, diz Salgado. Confira nosso bate-papo.
 
Como o senhor vê o crescimento do povo evangélico no Brasil?
Vejo um crescimento muitas vezes explosivo, mas com profundas distorções do sentido da vida cristã como Jesus propôs. Não é à toa que Ele mesmo afirmou que muitos são chamados, mas poucos os escolhidos (Mateus 22:14). Se a quantidade de evangélicos na atualidade fosse traduzida em qualidade, o Brasil seria outro.
 
Qual a sua perspectiva de futuro para a igreja evangélica?
A igreja evangélica brasileira precisa passar por uma profunda transformação, de volta aos princípios neotestamentários. É preciso haver uma conversão genuína ao Evangelho de Jesus Cristo. Precisamos voltar a ser o sal da terra e a luz do mundo. Sem isso, o futuro da igreja evangélica será não mais do que ser “pisada” pelos homens como Jesus ensinou no Sermão do Monte.
 
Sabemos que é grande o surgimento de novas igrejas, com muitas denominações. Como o senhor analisa esta situação?
Penso que a diversidade de igrejas e denominações é salutar porque há gostos variados em termos de estilo de culto, por exemplo. O perigo, entretanto, é quando a diversidade reproduz a falta de biblicidade nas propostas eclesiásticas. É triste ver o que alguns líderes evangélicos estão fazendo com a mensagem do Evangelho. Muitos estão pregando outro evangelho, com “e” minúsculo mesmo! A mercantilização da fé é uma das mais profundas distorções que vemos em nossos dias. Fui presidente da Convenção Batista Brasileira de janeiro de 2009 a janeiro de 2011, e 2º vice-presidente de fevereiro de 2015 a outubro de 2016 (renunciei ao mandato por estar numa igreja nova, que só foi filiada à CBB em abril de 2017). Nessa função pude fazer uma avaliação “microscópica” da nossa denominação. Felizmente os batistas brasileiros, embora com vários problemas, estão longe das distorções mais comuns no povo evangélico.
 
Qual sua relação com Montes Claros?
Creio que foi em 1987 que visitamos Débora, Tiago e eu a cidade de Montes Claros. Era uma visita com vistas ao pastorado da PIB, naquela época vago. Nunca esquecemos a bela recepção que recebemos no aeroporto quando desembarcamos.
 
O senhor exerce o ministério há quantos anos e em quais igrejas foi pastor?
Fui consagrado ao ministério pastoral no dia 12/06/1982. Pastoreei de 1982 a 1984 a Igreja Batista da Redenção em Olinda, Pernambuco; de 1984 a 1989, a Igreja Batista da Pituba (Pastor Fundador), em Salvador Bahia; de 1989 a 1992, a Igreja Batista Metropolitana (Pastor Fundador); de 2000 a 2016 a Igreja Memorial Batista em Brasília. Desde 2016, pastoreio a Igreja Batista da Graça em Brasília (Pastor Fundador).
 
Vale a pena dedicar toda uma vida a Deus?
Eu tinha um sonho de ser arquiteto na minha adolescência e início da juventude. Mas em 1978, eu entendi que deveria dedicar a minha vida a Deus na profissão de arquiteto. Creio que assim também todo o salvo pela Graça de Deus deve entender a sua vida. Nós não nos pertencemos mais a nós mesmos e a nossa vida só faz sentido, se for vida dedicada a Deus. Entretanto, Deus tinha outros planos para mim e o plano de Deus é sempre o melhor para nós. Se tivesse a chance de começar tudo de novo eu escolheria servir a Deus no ministério pastoral.
 
Qual desafio tem enfrentado na pregação da Palavra de Deus? 
O maior desafio é transmitir de forma clara a mensagem e todo o conselho de Deus às pessoas. É extremamente prazeroso ver quantas pessoas são tocadas pela pregação da Palavra, mas profundamente frustrante ver como para muitos a Palavra de Deus não é encarnada, não é transformada em vida!
 
Uma palavra de exortação para a igreja...
Cem anos é um tempo de celebração e tarefa. Celebrem a sua história. Celebrem os seus dons. Mas, sobretudo celebrem a Cristo, o único Senhor da igreja! Celebrem, mas também façam “o dever de casa”. Há muito povo nesta cidade de Montes Claros que precisa conhecer Jesus. Cumpram a tarefa evangelística. Cumpra a tarefa de proclamar a Cristo. Cumpram a tarefa de segui-lo como único Senhor da Igreja. Que a palavra de João, o Batista, seja a tarefa de cada um dos membros desta igreja: “Convém que Ele cresça e eu diminua!”.

Salgado por Salgado
Família – as pessoas mais importantes na minha vida
Livro – Discipulado de Dietrich Bonhoeffer (em alemão NACHFOLGE)
Comida – risoto de camarão
Igreja – lugar de vivência e expressão do amor de Deus
Ministério – um privilégio
Dinheiro – uma necessidade
Um lugar – Jerusalém, choro sempre quando entro na cidade
Deus – razão do meu existir.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários