O poder da mulher

Esportes Geraes / 16/05/2018 - 00h17

A inserção da mulher no jornalismo esportivo não é novidade. A comentarista Regiane Ritter foi contratada em 1980 para a Rádio Gazeta e lá ficou por inúmeros longos anos. Em Minas, tivemos inicialmente Isabela Scalabrini, Adriana Spinelli, Sônia Mineiro e tantas outras. Em Montes Claros, há o pioneirismo de Cida Santana que abriu espaço e caminho para tantas outras mulheres. No segmento de narração esportiva tivemos Luciana Marianno, ex-esposa de Luciano do Valle que foi a primeira mulher a narrar uma partida na TV brasileira no final dos anos 1990. Agora chegamos à Copa do Mundo e o mercado parece ter aberto de vez com a aprovação da mineiríssima Isabelly Morais para compor a equipe da Fox na narração esportiva.
 
Tentativas da TV Globo
Na TV Globo, a jornalista Glenda Kozlowski tentou, sem sucesso, ensaiar em diversas transmissões algo parecido a narrações. A última tentativa foi nas madrugadas de exibição dos Jogos de Inverno, transmitidos pela emissora. Mas, pelo visto, a TV dos Marinho decidiu, mais uma vez, não inovar e deixar primeiro que as demais promovessem um balão de ensaio, que, dando certo, é arrebanhado por ela com requintes de novidade e profissionalismo. Apostar em gente nova fazendo coisas interessantes não é mesmo para qualquer profissional. É preciso ter faro, tino e, sobretudo, paixão pela profissão.
 
Mineirinha do Jequitinhonha
Isabelly já tinha chamado a atenção de torcedores e imprensa ao narrar partida do América no Campeonato Mineiro, pela Rádio Inconfidência, de BH, em Janeiro. Agora, a mineira de Turmalina, Vale do Jequitinhonha, vai mostrar sua capacidade fazendo locução pela Fox do Brasil. Devemos hipotecar sucesso à jovem promessa do rádio e agora da TV. Que seu desempenho possa incentivar outras profissionais que têm talento a despontarem no segmento da narração esportiva no mercado brasileiro. Há muita profissional de qualidade por aí que não segue em frente por causa do protecionismo masculino. Importante frisar que o mercado é para todos.
 
As jornalistas na Terra de Figueira
Em Montes Claros, além de Cida Santana, já temos um mercado promissor no esporte. As repórteres de rádio Ana Cláudia Keller (não atua mais) e Fernanda Melo mostraram que podem fazer muito. Na apresentação de TV, tive a grata surpresa com os talentos de Nayara de La Rocha, Juliana Veloso e Raíssa Ramos. Que venham mais profissionais para equilibrar o jornalismo no esporte e dar um tom mais suave aos comentários nas emissoras de rádio e TV.

Publicidade
Publicidade
Comentários