Sonho possível

Editorial / 02/11/2017 - 01h08

Poucas obras têm a capacidade de mudar a vida de uma região inteira. Esse é o caso da barragem de Jequitaí, que terá o processo de construção retomado, com liberação de verbas imediatamente, conforme anunciou o presidente da Codevasf, Avelino Neiva, em visita à região, após articulação da deputada federal Raquel Muniz, nesta semana. 

Pelo projeto, dá para ver que a estrutura aproveita uma característica natural do rio, que permite que uma grande área seja inundada com uma represa relativamente pequena. Isso reduz significativamente o custo de construção e resolve mais rapidamente o problema mais urgente que é a falta de reservas de água na região. 

Mas o que deve mudar a vida dos milhares de moradores é mesmo o sistema de irrigação que será abastecido pelo lago. Já temos na região Norte programas semelhantes, como o Gorutuba e o Jaíba, que provocaram melhorias significativas nas economias das cidades do entorno. 

O lago de Jequitaí deverá provocar a geração de 100 mil empregos diretos e indiretos somente no setor agrícola. Além disso, há vários outros setores que passam a ser atingidos, com comércio e serviços, por exemplo, provocando um círculo virtuoso de crescimento. 

A empolgação dos moradores da região com a possibilidade de uma nova realidade é justificável. A barragem mudará a região de patamar e poderá torná-la uma potência do agronegócio.

Basta agora que haja união de líderes políticos e empresariais para aquilo que foi prometido seja cumprido e que o sonho se torne realidade o mais rápido possível. 

A empolgação é justificável. 

A barragem mudará a região de patamar e poderá torná-la uma potência do agronegócio

Publicidade
Publicidade
Comentários