Sem desculpas

Editorial / 27/06/2018 - 01h57

Cerca de 2.500 pessoas, entre elas idosos com mais de 60 anos, crianças e professores, deixaram de se vacinar contra a gripe em Montes Claros durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a doença, encerrada neste mês. A imunização gratuita contra a gripe Influenza é destinada a pessoas consideradas do grupo de risco para contrair a doença –que inclui também portadores de doenças graves, gestantes, além das populações carcerária e indígena.

Devido à baixa cobertura, o Ministério da Saúde determinou que as doses não utilizadas durante a campanha sejam agora aplicadas também em adultos entre 50 e 59 anos. Ou seja, o prazo para se vacinar foi estendido e a faixa etária ampliada. Quem se enquadra nestes grupos não deve deixar de se imunizar. A gripe, cujo contágio aumenta no inverno, pode levar a doenças pulmonares mais graves, como a pneumonia, que, se não tratada adequadamente e dependendo da imunidade do paciente, pode levar à morte. A doença é responsável por grande número de internações, que sobrecarregam as unidades de saúde e oneram os cofres públicos. 

Muitas pessoas ainda acreditam em falsas informações de que a vacina, em vez de prevenir, pode provocar doença. As chamadas fake news se alastram pelas redes sociais, desmotivando muita gente a ir até o posto de saúde mais próximo para se prevenir gratuitamente. No entanto, a imunização é segura, segundo o Ministério de Saúde, e não há motivos para ficar à mercê da sorte, correndo o risco de contrair uma gripe, que pode evoluir para um quadro mais grave. Não vale correr o risco. 

A vacinação contra a gripe é segura, segundo o Ministério de Saúde, e não há motivos para ficar à mercê da sorte de não contrair o vírus

Publicidade
Publicidade
Comentários