Regras

Editorial / 01/11/2017 - 01h18

O déficit habitacional no país é grande. Milhares de pessoas não possuem o direito à moradia respeitado. E em Montes Claros, como recorte do que acontece no país, não é diferente. 

O problema é que muita gente aproveita a situação para invadir espaços públicos ou de outras pessoas, forçando o poder público a gastar tempo e recursos para resolver a situação. Muitas dessas invasões não ocorrem em propriedades devolutas ou improdutivas, mas sim em áreas de proteção ambiental, que não podem ser ocupadas para garantir a preservação de mananciais ou espécies de animais ou plantas nativas. 

A desocupação de parte do Parque Municipal Guimarães Rosa, ocorrida ontem, foi apenas um capítulo de um problema muito maior. Há pelo menos dez APAs invadidas na cidade de Montes Claros, o que soma 18 hectares de ocupação irregular sobre que deveriam estar preservados. Locais que, inclusive, deveriam estar recebendo cuidado para manter a água que cairá nos próximos dias, abastecendo lençóis freáticos e nascentes de rios. 

Se os moradores não se tocaram ainda, a crise hídrica tem muito a ver com desmatamento e ocupação irregular, tanto quanto a falta de chuvas. E a consequência todos sentem. 

Claro que chegar com um trator e derrubar em minutos imóveis que levam anos para serem construídos não é o desfecho ideal para um situação como essa. Por isso, pode ter faltado sensibilidade à prefeitura, como tem sido o costume da atual gestão, para tratar o morador que muitas vezes adquire um imóvel sem saber da irregularidade. Mas fica um aviso para toda a população: que também as regras devem ser respeitadas. 

O problema é que muita gente se aproveita de situações para invadir espaços públicos ou de outras pessoas

 

Publicidade
Publicidade
Comentários