Péssima impressão

Editorial / 01/02/2018 - 01h11

Montes Claros recebe milhares de pessoas todos os meses pela rodoviária municipal. E seja qual for o motivo para estar na Princesa do Norte, a trabalho ou a passeio, a experiência para quem vem de ônibus, definitivamente, não começa da maneira, digamos, mais agradável. 

Internamente, a rodoviária não oferece uma estrutura adequada para receber passageiros com deficiência. O elevador do prédio está quebrado, segundo a administração, porque não é viável o conserto. Ora, o que não é viável é deixar para deficientes e idosos apenas as escadas como opção para subir ou descer de um andar para outro. 

Todo mundo precisa utilizar esses equipamentos, já que muita gente carrega malas pesadas. Na semana passada, uma mulher caiu nas escadas e precisou ser hospitalizada. Um custo muito grande para um usuário, que certamente vai procurar na Justiça os seus direitos. E certamente, a indenização não será barata. 

O pior fica para o entorno, com flanelinhas controlando um espaço público e extorquindo dinheiro de motoristas e motociclistas que deixam seus veículos no estacionamento. Sem contar moradores de rua, drama social a olhos nus nos grandes centros urbanos. 

Quem entra na cidade pela rodoviária tem a impressão, já nos primeiros minutos, de que a cidade de Montes Claros é um lugar onde não há fiscalização, respeito pelas pessoas ou programas de assistência social. Apesar de não fugir muito do retrato atual do município, esse quadro envergonha os moradores. Carecemos de uma soluções urgentes!

O pior fica para o entorno, com flanelinhas controlando um espaço público e extorquindo dinheiro de motoristas

Publicidade
Publicidade
Comentários