Na corrida pelo título

Editorial / 13/06/2018 - 06h28

Situado entre os municípios de Januária, Itacarambi e São João das Missões, o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, no Norte de Minas, chega mais perto do título de Patrimônio Mundial, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Há duas décadas, a reserva ambiental figura na lista indicativa para ser reconhecido pelo órgão internacional, mas, só agora, as primeiras medidas práticas começam a ser tomadas para que o sonho se transforme em realidade.

Uma comitiva do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Minas Gerais (Iphan) visitou o local, nos últimos dias 7 e 8, quando fez um levantamento de todo o parque – um paraíso verde de mais de 56 mil hectares que preserva, entre outras riquezas, um sítio arqueológico com pinturas rupestres além de espécies raras da flora e da fauna.

O trabalho de campo faz parte dos trâmites exigidos para que o parque seja reconhecido e dará origem a um dossiê. A previsão é de que o Brasil apresente a candidatura à Unesco em 2021. O processo é longo, mas vale a pena a espera, tendo em vista os benefícios para a região.

Além de ajudar na conservação da fauna e flora, contribuindo para a vida no planeta, áreas de preservação representam atrativos para os turistas, que movimentam o comércio e o setor hoteleiro. Também há aumento do repasse de ICMS para os municípios. Depois de percorrer o parque, que reúne cinco belas cavernas, os integrantes da comitiva saíram encantados e classificaram a reserva como uma joia. A esperança é que o título chegue logo, trazendo mais riquezas para a região.

A previsão é de o Brasil apresente a candidatura do Parque Nacional do Peruaçu à Unesco em 2021 

Publicidade
Publicidade
Comentários