MOC estagnada

Editorial / 02/01/2018 - 06h13

Uma das melhores qualidades de um ser humano é a capacidade de se autoavaliar e reconhecer os seus defeitos e as virtudes do outro. Na história humana, não há sociedade que cresça e alcance um bom nível de igualdade e justiça social baseada em individualidades. 

Infelizmente, esse é um dos problemas que muitos gestores públicos do país têm. Quando assumem uma administração acabam com as principais iniciativas implantadas ou que estão dando certo por pura vaidade. Quando há um aperfeiçoamento de programas ou uma mudança de prioridade na gestão, até que dá para avaliar, mas encerrar projetos sem motivos técnicos não contribui em nada para a vida da população.

Hoje mostramos algumas iniciativas e projetos que foram encerrados na atual gestão de Montes Claros e que até hoje não foram substituídos ou aperfeiçoados. Destaca-se a área da educação, que teve iniciativas suspensas como a Escola Integral e o pré-Vestibular para pessoas carentes. 

Ouras atitudes desta administração acabaram resultando em um efeito em cadeia, como foi o caso da demissão dos vigias de equipamentos públicos. Os casos de invasões e roubos aumentaram consideravelmente e o prejuízo certamente foi muito maior do que a economia gerada com os desligamentos. 

Espaços de lazer abandonados e zoológico fechado são outras falhas claras da prefeitura nos últimos 12 meses. 

Conforme o tempo passa, os estragos com a falta dessas políticas vão ficando maiores e mais difíceis de se reparar, condenando a cidade a uma estagnação de seu desenvolvimento .

Na história humana, não há sociedade que cresça e alcance um bom nível de igualdade e justiça social baseada em individualidades

 

Publicidade
Publicidade
Comentários