Lição dos idosos

Editorial / 02/06/2018 - 07h14

Das 100 mil pessoas previstas para serem vacinadas contra a gripe em Montes Claros, durante a campanha nacional de imunização, apenas 70% receberam as doses. Ou seja, 30 mil ainda estão sem proteção contra a doença, que pode evoluir para doenças respiratórias graves, como a pneumonia, colaborando para sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde público. A campanha, que começou no dia 23 de abril, terminaria na última sexta-feira, mas foi prorrogada até 15 de junho pelo Ministério da Saúde.

As doses têm como alvo pessoas com imunidade mais baixa, como idosos, gestantes e crianças de seis meses até 5 anos, e aquelas que correm mais riscos de contrair o vírus por estar em contato com doentes, como os profissionais de saúde. Em Montes Claros, professores das redes pública e privada também estão incluídos na população alvo da campanha. Mas, como mostram os dados da Saúde municipal, eles não deram uma boa lição sobre a importância de se vacinar. Os pais das crianças também mostram ter ignorado a campanha. Os idosos se destacam pelo bom exemplo: 87% deles se vacinaram em MOC. 

Como os professores lidam com crianças e jovens, em ambientes fechados, é importante que valorizem o ato de se imunizar, assim como os pais de crianças pequenas, cuja imunidade é mais baixa. As autoridades de saúde de Montes Claros alegam que os efeitos da greve dos caminhoneiros afetaram a campanha. Mas vale lembrar que a imunização começou em abril, tempo de sobra para promover ações convocando a população para um ato de responsabilidade e de colaboração para a saúde coletiva.

Trinta mil montes-clarenses ainda estão sem proteção contra a gripe, que pode evoluir para doenças respiratórias graves

Publicidade
Publicidade
Comentários