Hora do IPTU

Editorial / 12/04/2018 - 00h41

Ruas sem calçamento e esburacadas, falta de iluminação e córrego poluído. Essas são algumas das situações denunciadas por moradores do bairro Monte Carmelo ao receber ontem o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) deste ano. As guias começaram a ser entregues aos contribuintes. 

Os boletos mal bateram às portas e geram indignação dos moradores, que questionam os valores cobrados alegando que as taxas tiradas do bolso são elevadas, se considerada a situação precária do local. O contribuinte quer saber onde foi empregado o dinheiro do imposto de anos anteriores. A lei determina que os valores arrecadados com o IPTU devem ser usados para garantir iluminação pública, asfalto e recapeamento de ruas, por exemplo. 

No entanto, o que se vê são vias no escuro, com mau cheiro, buracos. 

Assim como no bairro Monte Carmelo, moradores das outras regiões da cidade estão recebendo as guias. Hora de pagar a conta e questionar o que é feito pela prefeitura com o suado dinheiro, pago à vista, quando o orçamento familiar permite, ou em “suadas” prestações pela maioria dos contribuintes. De acordo com dados da Prefeitura de Montes Claros, em 2017 foram arrecadados R$ 33.460.325,09. Parte desse valor foi investido em saúde e educação. 

É dever do contribuinte arcar com a responsabilidade de manter em dia o pagamento dos impostos, mas é direito dele exigir que os recursos sejam revertidos para uma cidade mais harmônica e organizada, com ruas limpas, sem buracos, iluminadas e seguras.

Hora de questionar o que é feito com o suado dinheiro, pago à vista, quando permite o orçamento familiar, ou em “suadas” prestações 

Publicidade
Publicidade
Comentários