Epidemia à vista

Editorial / 12/06/2018 - 06h21

Uma epidemia de dengue em Montes Claros é iminente, caso os moradores não mudem o comportamento e eliminem os focos do Aedes aegypti, antes da chegada do período chuvoso. De acordo com dados do Ministério da Saúde, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação do mosquito(Liraa), obtido por meio de mapeamento em municípios para avaliar a presença do vetor da doença, coloca Montes Claros entre as 44 cidades do Norte de Minas com maior risco de uma epidemia. MOC registra índice de infestação de 8%.

O resultado revela que a população não faz a sua parte para evitar que focos do mosquito se instalem nas residências e estabelecimentos comerciais. Além de deixar lixo acumulado, plantas, pneus e garrafas, com acúmulo de água, moradores praticam um mau comportamento ao enfrentar o racionamento de água: 57% dos focos do mosquito Aedes aegypti encontram-se em tambores e caixas de armazenamento de água sem o uso de tampas – um prato cheio para a proliferação do mosquito.

O comportamento errado indica que a prefeitura, que deveria investir em campanhas de prevenção e esclarecimento junto aos moradores, não anda fazendo a sua parte. Será preciso correr atrás do prejuízo, com mais investimentos para evitar a epidemia de uma doença que pode provocar mortes e sobrecarregar o sistema de saúde público. 

Quanto aos moradores, ainda há tempo de limpar a casa, tirando tudo aquilo que possa servir de reservatório de água e proliferação do mosquito. A prevenção é o melhor remédio para evitar mais sofrimentos com a dengue.

Ainda há tempo de limpar a casa, tirando tudo aquilo que possa servir de reservatório de água e proliferação do mosquito da dengue

Publicidade
Publicidade
Comentários