E a Frente Ampla?

Editorial / 15/05/2018 - 00h44

Herdeiro do ex-presidente João Goulart e pré-candidato à Presidência, João Goulart Filho quer pressionar a Justiça a investigar a morte do pai, com base nas revelações dos documentos da CIA sobre Ernesto Geisel (gestão 1974-79) autorizar assassinatos de subversivos e inimigos do regime militar. A dúvida das mortes misteriosas assombra também as famílias do ex-presidente JK e do ex-governador Carlos Lacerda. Eles compunham, desde 66, a Frente Ampla, que articulava a derrubada da ditadura. 

Cá e lá
Em outra frente, Jango filho pretende requerer ao governo dos EUA mais documentos da CIA na esperança de que algum informe sobre o pai.
 
Óbitos
JK morreu em misterioso acidente na Via Dutra em 22 de agosto de 1976; Jango (6-12-76) e Lacerda (21-5-77) foram vítimas de ataque cardíaco. Tudo mal explicado. 
 
Teses 
Famílias do trio suspeitam até hoje que o carro de JK foi fechado na via, e que Jango e Lacerda morreram envenenados. Cony, em ‘O Beijo da morte’, lança luz ao debate.
 
Sem palanque
Presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann diz a próximos que o pior para Lula da Silva na cadeia é a solidão. Sempre cercado de bajuladores, ele estava acostumado a ser paparicado. Agora discursa para carcereiros. 
 
Recado
Em visita há dias a Lula, Paulo Okamoto, o Japa seu amigo de décadas, recebeu missão de confortar, em nome do ex-presidente, a família do saudoso advogado José Gerardo Grossi falecido semana passada. Lula determinou que o PT faça homenagem póstuma.
 
Nova Roupagem
Pré-candidato do DEM ao Planalto, Rodrigo Maia, em entrevista ao ‘Estadão’, lança dúvidas sobre uma coalizão MDB-PSDB articulada por Temer e FHC. Diz que o país precisa de renovação. Mas Maia negocia sua aliança com Ciro Nogueira, do PP, partido enrolado no petrolão, e com Valdemar da Costa Neto, dono do PR, ex-mensaleiro que tem velhas histórias para explicar.
 
Aquarela
Ex-AGU tucano, ministro Gilmar Mendes (STF) solta Paulo Preto, deixa investigadores roxos de raiva, o Judiciário vermelho de vergonha, os ministros da Corte de sorriso amarelo e o PSDB... azul de alegria. 
 
Ah, BB!
Com o fechamento de mais de 100 agências e adesão de milhares de funcionários ao plano de demissão, o Banco do Brasil descontou no correntista. Alguns têm reclamado da mudança do atendimento presencial para o digital: gerentes nem sempre atendem ao telefone e respondem e-mails de casos urgentes com dias de atraso.
 
Tá bom...
Segundo o BB, o banco atende hoje a 235 mil clientes nesse modelo, em horário diferenciado (9h às 17h). Já foram 118 agências fechadas e migradas para o sistema on-line, e serão 130 até agosto, com “gerentes especializados” em canal direto. 
 
Balanço
Ainda de acordo com o banco, de janeiro a abril a Ouvidoria recebeu 40 reclamações relacionadas ao atendimento digital e por telefone, “com casos já solucionados”.

Publicidade
Publicidade
Comentários