Corrida à Caixa

Editorial / 03/01/2018 - 01h12

A reabertura do crédito imobiliário na linha Pró-Cotista pela Caixa é uma boa notícia para quem viu praticamente o sonho da casa própria ficar inviabilizado com a suspensão de novos contratos, feita a partir do meio do ano passado. Muita gente teve que adiar os planos e perdeu negócios que estavam prestes a serem fechados porque não podia se enquadrar em outra faixa de financiamento. 

No entanto, todos devem ficar atentos e concluir as negociações o quanto antes, já que os R$ 4 bilhões prometidos estão bem a quem do volume destinado para a compra de imóveis dentro desse plano no ano passado, que foi de R$ 6,1 bilhões. E essa verba não deu para seis meses. 

O setor imobiliário vem retomando o ritmo de crescimento aos poucos, assim como vários outras áreas. É pouco ainda se compararmos com quase uma ‘bolha’ vivida há cinco ou seis anos, quando a procura e os preços dos imóveis dispararam. 

Por isso, o ideal seria que a União pelo menos repetisse a quantidade de recursos oferecidos para essa modalidade, mais usada pela classe média, que sofreu muito com a crise econômica. 

Uma ajuda nessas horas poderia acelerar o reaquecimento do setor, o que estimularia os construtores a investir mais em imóveis novos, gerando mais emprego na construção civil, com mais renda para o trabalhador e assim sucessivamente. 

A redução na disponibilidade de recursos pode resultar no efeito contrário e em um desestímulo a novos investimentos. Tudo o que a gente não precisa neste momento da economia. 

O ideal seria que a União repetisse a quantidade de recursos oferecidos para essa modalidade, a mais usada pela classe média

Publicidade
Publicidade
Comentários