‘Bora’ vacinar

Editorial / 14/06/2018 - 06h35

A decisão do Ministério da Saúde de ampliar o prazo e os públicos para receber doses da vacina contra a gripe, neste ano, é mais que pertinente, em função da baixa cobertura. Faltando um dia para o fim da campanha – que já havia sido estendida, em razão da greve dos caminhoneiros –, 21 mil crianças menores de 5 anos ainda estão sem proteção nos 53 municípios sob a responsabilidade da Superintendência Regional de Saúde do Norte de Minas. A meta é imunizar 67.702 crianças, mas apenas 68% foram levadas aos postos de saúde – menor índice dentre os públicos-alvo.

O Ministério da Saúde determinou na última terça-feira que os municípios poderão prosseguir com a campanha, agora ampliada para imunização de crianças de 5 a 9 anos e adultos de 50 a 59 anos, se ainda houver doses no estoque.

Cabe, agora, às autoridades de Saúde dos municípios norte-mineiros promoverem uma ampla e nova campanha de conscientização destacando a relevância da imunização estendida para toda a sociedade. 

Mesmo que a proteção da vacina não tenha garantia de 100%, conforme asseguram especialistas, receber as doses contribui para que se reduzam impactos dos sintomas da gripe, hospitalizações e mortes em razão da doença.

Sem falar em percentuais de absenteísmo no trabalho, gerando maiores ganhos e produtividade na economia. Também espera-se que as milhares de pessoas e responsáveis por parte do público alvo – no caso das crianças – ainda não imunizado garantam isso o mais rápido possível. Vacinar-se não é uma ação individual. Imunizar-se é agir individualmente, mas pensando no bem da coletividade. 

Faltando um dia para o fim da campanha de vacinação contra a gripe, 21 mil crianças ainda estão sem proteção no Norte de Mina

‘Bora’ vacinar
A decisão do Ministério da Saúde de ampliar o prazo e os públicos para receber doses da vacina contra a gripe, neste ano, é mais que pertinente, em função da baixa cobertura. Faltando um dia para o fim da campanha – que já havia sido estendida, em razão da greve dos caminhoneiros –, 21 mil crianças menores de 5 anos ainda estão sem proteção nos 53 municípios sob a responsabilidade da Superintendência Regional de Saúde do Norte de Minas. A meta é imunizar 67.702 crianças, mas apenas 68% foram levadas aos postos de saúde – menor índice dentre os públicos-alvo.

O Ministério da Saúde determinou na última terça-feira que os municípios poderão prosseguir com a campanha, agora ampliada para imunização de crianças de 5 a 9 anos e adultos de 50 a 59 anos, se ainda houver doses no estoque.

Cabe, agora, às autoridades de Saúde dos municípios norte-mineiros promoverem uma ampla e nova campanha de conscientização destacando a relevância da imunização estendida para toda a sociedade. 

Mesmo que a proteção da vacina não tenha garantia de 100%, conforme asseguram especialistas, receber as doses contribui para que se reduzam impactos dos sintomas da gripe, hospitalizações e mortes em razão da doença.

Sem falar em percentuais de absenteísmo no trabalho, gerando maiores ganhos e produtividade na economia. Também espera-se que as milhares de pessoas e responsáveis por parte do público alvo – no caso das crianças – ainda não imunizado garantam isso o mais rápido possível. Vacinar-se não é uma ação individual. Imunizar-se é agir individualmente, mas pensando no bem da coletividade. 

Faltando um dia para o fim da campanha de vacinação contra a gripe, 21 mil crianças ainda estão sem proteção no Norte de Mina

Publicidade
Publicidade
Comentários