Barato é eficaz?

Editorial / 31/01/2018 - 01h09

Mais duas unidades municipais de ensino foram alvo de bandidos nos últimos dias em Montes Claros. Eles entraram nas instituições muito provavelmente durante o fim de semana, quando não há qualquer vigilância ou proteção, a não ser grades e fechaduras, que são arrombadas facilmente pelos profissionais do crime. 

Com os registros mais recentes, são 11 as instituições invadidas, desde janeiro do ano passado, somente da área de educação, fora postos de saúde e prédios de secretaria, como estamos noticiando frequentemente. 

A prefeitura firmou neste ano um contrato com uma empresa de segurança para a implantação de um sistema de monitoramento eletrônico. O Executivo anuncia que a medida é mais econômica do que pagar os vigias noturnos para cuidar da segurança. Mas será que é mais eficaz? 

Em outras cidades, até com índices de violência maiores do que os registrados em Montes Claros, o modelo não evitou os arrombamentos, principalmente a escolas infantis que têm maior variedade de materiais e alimentos. 

A vigilância eletrônica, que será instalada somente daqui a quatro meses, pode até ajudar na identificação de alguns autores, mas sabemos que isso não inibe todas as ações de bandidos. Caso contrário, não teríamos vários exemplos de assaltos em comércios e residências sendo filmados por câmeras e noticiados na TV. 

Esse quadro de insegurança que abate servidores e comunidade escolar deve continuar ainda pelos primeiros meses do ano, sem que o poder público faça algo eficaz para contê-lo. 

Em outras cidades, o modelo não evitou os arrombamentos, principalmente a escolas infantis que têm maior variedade de materiais e alimentos

Publicidade
Publicidade
Comentários