Alento no campo

Editorial / 29/12/2017 - 01h03

A confirmação da safra recorde de grãos em Minas Gerais é sem dúvida uma boa notícia em meio a um ambiente ainda incerto das economias estadual e nacional. O agronegócio tem conseguido se distanciar do cenário político conturbado em Brasília e garantido bons resultados. 

Crescimento geral de 20% e de 27% somente do milho são ótimos números e que garantem ganhos para os mineiros em praticamente todas as regiões. 

E o quadro é melhor ainda para o Norte de Minas, que apesar de não ter uma grande produção de grãos, acaba se aproveitando bastante dela, seja pela proximidade com as grandes fazendas do Noroeste ou sendo rota de escoamento dos alimentos para os portos do Nordeste do país. 

Até os produtores de gado, de corte e leite, são beneficiados pois os alimentos para os animais tendem a ficar mais baratos em uma oferta tão grande de matéria-prima. 

Esse, aliás, pode ser um dos motivos para que Montes Claros e algumas das maiores cidades da região terem acumulado até agora números positivos na geração de emprego no ano, ao contrário do que ocorre em outras regiões do país. 

Não somos mais um país basicamente agrícola, mas é inegável a influência do campo na economia e na qualidade de vida da população. Quando a produção rende, o fazendeiro vende e o trabalhador recebe adequadamente pelo seu serviço, a maior parte das cidades enfrenta melhor as dificuldades que aparecem.

Precisamos que o país olhe mais para o campo e proteja esse setor durante momentos ruins. É só garantir as condições e deixar o brasileiro trabalhar que o Brasil anda. 

Não somos mais um país agrícola, mas é inegável a influência do campo na economia do país e na qualidade de vida da população

Publicidade
Publicidade
Comentários