Água farta

Editorial / 28/05/2018 - 23h27

Boa notícia chega à população de Montes Claros. A Copasa prevê para setembro a suspensão do racionamento de água no município, que castiga os moradores há mais de dois anos. Hoje o abastecimento na cidade é feito pela companhia a cada 72 horas, em vez de 24, impondo um controle constante no consumo para que as torneiras não fiquem secas.

A normalização seria garantida com as obras de captação no rio Pacuí, previstas para serem concluídas em agosto. No entanto, a segurança hídrica virá, mesmo, com outra importante operação: a captação de água do Rio São Francisco.

Em agosto, a Copasa inicia obras que irão possibilitar o recolhimento no Velho Chico e os trabalhos deverão ser concluídos em 2020. A previsão é de que duas operações – Pacuí mais São Francisco – irão garantir a regularização no abastecimento no município pelos próximos 30 anos.

A notícia mostra o empenho da companhia em solucionar um problema na cidade centenária do sertão mineiro e que provoca grande sofrimento para os moradores, obrigados a viver com a incerteza de ter ou não caixas abastecidas, além de enfrentarem a escassez total de um recurso imprescindível para a sobrevivência. A Copasa teme, no entanto, que as obras finais em Pacuí possam sofrer atraso em função da greve dos caminhoneiros, que afeta o transporte de materiais. A expectativa, como a de todos os brasileiros, é que o problema se resolva logo para que o país volte à normalidade e que o abastecimento regular venha mais rápido. E com as caixas sempre cheias vale também nunca se esquecer do consumo consciente para o bem de todo o planeta.

Obras irão garantir segurança hídrica aos moradores de Montes Claros para os próximos 30 anos

Publicidade
Publicidade
Comentários