Cadê a copa?

Economia e Política / 28/03/2018 - 00h07

Estamos a aproximadamente três meses de um dos maiores eventos esportivos do mundo. A cada quatro anos o mundo do futebol para pra ver seus ídolos entrarem em um disputa curta, de sete jogos, mas que pode marcar suas carreiras e elevar o espírito de uma nação inteira. A grandiosidade de uma copa do mundo é potencializada quando se trata de um país como o Brasil, considerado o país do futebol e maior campeão da história das copas.

Mas tenho percebido que há algo de estranho com esse mundial, ou seria com os brasileiros? A menos de três meses da abertura da Copa do Mundo da Rússia, o que menos vemos nos jornais são notícias relacionadas ao campeonato. Intervenção no Rio de Janeiro, as reiteradas denúncias contra presidente Michel Temer... a pauta está longe dos gramados.

E isso não é culpa dos órgãos de imprensa, cabe aos veículos noticiarem os fatos. O problema é que por conta do histórico recente dos escândalos de corrupção e crises econômicas, o esporte que sempre foi a alegria do povo deixou de ser fato relevante como já fora. Estamos perdendo a “magia”, a alegria das copas. Se engana que pensa que a copa do mundo é só festa.

A população, engajada com a disputa, compra televisores e camisas, viaja e faz festa em casa para acompanhar as partidas, tudo isso gira a roda da economia. Sem contar o espírito de união nacional que se cria, com final feliz ou não, como foi o fatídico 2014.

Será que a goleada histórica em casa fez com que perdêssemos o encantamento na seleção? Na minha opinião o 7x1 contribuiu, mas o real motivo do desinteresse se deve aos recorrentes escândalos e a crise econômica que ainda não passou.

Mas com problemas ou não a Copa vem aí, ou ao menos é o que dizem alguns. É a oportunidade de pausarmos a ciranda de do dia a dia em blocos de 90min. Tomara que saibamos o nome dos jogadores, assim como sabemos o nome e sobrenome dos ministros do Supremo.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários