Operação Lava Jato

Direto de Brasília / 26/04/2018 - 00h00

Em operação na última terça-feira, a Polícia Federal apreendeu cerca de R$ 200 mil na residência do presidente nacional do Partido Progressista (PP), o senador Ciro Nogueira. A informação sobre a apreensão de valores foi confirmada pelo advogado do senador, o criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. Nogueira teve o gabinete no Senado Federal e a residência em Teresina (PI) alvos de busca e apreensão da PF. A Procuradoria-Geral da República suspeita que o senador e o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), o Dudu da Fonte, tentaram comprar o silêncio de um ex-assessor que tem colaborado com as investigações da “Lava Jato” que miram a suposta participação dos dois em uma organização criminosa. 
 
Remoção de Lula
A Polícia Federal protocolou no sistema eletrônico da Justiça Federal um pedido de remoção do ex-presidente Lula da Superintendência da corporação, em Curitiba. O motivo, segundo a PF, é o custo para garantir a segurança do ex-presidente. Eles alegam gastar cerca de R$ 300 mil por mês com diárias, deslocamentos e servidores extras. A Polícia Federal também reclama da interferência na prestação de serviços. A corporação não indicou para onde Lula deve ser removido. O ex-presidente está preso desde 7 de abril, após condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso tríplex. 
 
Delação sobre Lula
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 3 votos a 2, retirar do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, trechos da delação de ex-executivos da construtora Odebrecht que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Apesar disso, o magistrado não perde o processo contra o petista. A decisão foi tomada na tarde de terça-feira pelo STF. 
 
Fim da Lista Tríplice
O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) julgou inconstitucional a lei que prevê a escolha, a partir de uma lista tríplice, dos diretores-gerais das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do Detran. A legislação perde a validade quando a ata for publicada no Diário de Justiça Eletrônico. 
 
Comércio de explosivos
O Exército iniciou terça-feira uma operação para intensificar as atividades de fiscalização de explosivos – como dinamites, estopins, espoletas pirotécnicas e cordéis detonantes. Os trabalhos serão realizados em todo o país e vão continuar até esta sexta-feira. A operação envolve cerca de mil profissionais e conta com suporte dos órgãos de segurança pública federais, estaduais e municipais de cada região.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários