Imoralidade

Direto de Brasília / 11/01/2018 - 06h02

Em Minas Gerais, o diretor do Departamento de Trânsito (Detran-MG), César Augusto Monteiro Alves Júnior, nomeado em dezembro passado, acumula 120 pontos na carteira de habilitação por 26 infrações de trânsito. Em Brasília, a deputada federal Cristiane Brasil, indicada para titular do Ministério do Trabalho, tem contra ela uma condenação e denúncias de descumprimento das regras trabalhistas. Apesar de ambos os casos estarem na esfera privada, o assunto divide opiniões de juristas e da sociedade.

Cargos congelados
O presidente Michel Temer assinou um decreto que congela cerca de 61 mil cargos federais na administração direta autárquica e fundacional. Os cargos, em sua maioria já estavam vagos e outros, a partir do decreto, não poderão ser preenchidos por concursos públicos. Muitos deles são de nível inicial, com remunerações mais baixas. O decreto foi assinado no mesmo dia em que o governo tentou emplacar o nome de Cristiane Brasil como nova ministra do trabalho. 
 
Impassível 
Mesmo com apenas 6% de aprovação, o presidente Michel Temer mantém o firme propósito de conseguir aprovar seu projeto de reformas e, ao que parece, não tem nenhum constrangimento em ignorar a pressão das críticas e da opinião pública para garantir uma base unida no Congresso, como aconteceu no caso da nomeação da deputada Cristiane Brasil ao Ministério do Trabalho, que só teve sua posse revogada por determinação judicial.
 
Fechando o cerco
A Polícia Federal trocou de comando no último mês de novembro com a promessa de intensificar a atuação contra políticos que estão sendo alvo de investigações criminais e que pretendem disputar as próximas eleições. Na posse, o novo diretor da PF, Fernando Segovia, disse que quer concluir até meados de 2018 a maior parte dos 150 inquéritos relacionados à Operação Lava-Jato que tramitam em cortes superiores. 
 
Método anti-HIV 
Pessoas infectadas com o vírus da Aids estão bem perto de ter acesso a um novo método. Um estudo publicado pela revista científica Nature Communications descreve o modelo inovador, ainda em fase de teste pré-clínico, que foca exatamente no dilema da não adesão dos pacientes ao modelo convencional. A equipe constatou que apenas cerca de 30% dos pacientes seguem os planos diários de dosagem. O novo método ajuda a resolver esse problema ao exigir que o paciente ingira uma só pílula semanalmente. O composto, então, permanece no estômago ao longo de vários dias, liberando os medicamentos prescritos gradualmente. 

Publicidade
Publicidade
Comentários