20 anos em 2

Direto de Brasília / 17/05/2018 - 00h36

O convite para a cerimônia marcada para a última terça-feira pelo Palácio do Planalto, com o objetivo de celebrar os dois anos do governo de Michel Temer, provocou uma crise e teve de ser alterado de última hora. Expedido pelo cerimonial do Planalto, o convite trazia o slogan “O Brasil voltou, 20 anos em 2”. A mensagem foi considerada desastrosa por auxiliares do presidente, vez que, sem a vírgula após o verbo, poderia passar a impressão de que o país regrediu duas décadas sob a gestão Temer. O presidente acabou desistindo do slogan.

Dois anos de luta
Durante a cerimônia, Michel Temer disse que muita gente disse “não” às ações do seu governo nos últimos dois anos, mas afirmou que a gestão conseguiu combater a inflação e a recessão que o país enfrentava. Segundo o presidente, “foram dois anos de muita luta, mas também de muitas vitórias”.
 
Carne proibida
Entrou em vigor ontem a proibição de importação de carne de frango de 20 frigoríficos brasileiros pelos países que compõem a União Europeia. A decisão foi tomada após a terceira etapa da Operação Carne Fraca, deflagrada em março do ano passado pela Polícia Federal, com o objetivo de investigar denúncias de fraudes cometidas por empresários e fiscais agropecuários federais. Entre os frigoríficos proibidos, 12 pertencem à BRF.
 
Dólar nas alturas
De acordo com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, a alta do dólar nos últimos dias é um movimento internacional de fortalecimento da moeda dos Estados Unidos, em todos os países emergentes, e que o Brasil não está imune a isso.
 
Vagas de emprego
A Justiça Federal determinou que 807 candidatos aprovados em dois concursos públicos do Ministério da Saúde, lançados em 2009, sejam nomeados até 31 de outubro deste ano. De acordo com o juiz Mauricio Lanha, da 3ª Vara Federal do Rio de Janeiro, se o órgão deixar de cumprir a decisão a multa é de R$ 1 milhão, passando a R$ 5 milhões se as nomeações não ocorrerem até o último mês do ano. A decisão foi tomada em 9 de maio.
 
Na berlinda
O Ministério Público Federal denunciou, pela primeira vez, o empresário Joesley Batista, da J&F. Ele é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros crimes. A denúncia desconsidera acordo de delação firmado com a PGR e depois rescindido.

Publicidade
Publicidade
Comentários