Voto de desconfiança

Coluna Esplanada / 13/01/2018 - 00h09

Os auditores-fiscais vão recrudescer mais a paralisação que promovem, desde novembro, pela regulamentação do bônus de produtividade e eficiência. Segunda-feira (15) começa assembleia nacional que decidirá a suspensão total das atividades por tempo indeterminado. Também deve passar um voto de desconfiança para a cúpula da Receita Federal, sobretudo para o secretário Jorge Rachid. Nesse voto de desconfiança estão incluídos superintendentes, coordenadores, subsecretários, dos quais serão exigidas renúncia e exoneração de função.

À altura
À Coluna, Cláudio Damasceno, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), afirma que se o governo quer medir forças, encontrou um adversário à altura: “Estamos parados há dois meses, podemos ficar quanto for necessário”. 
 
Vips
O deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) quer saber da Receita Federal sobre suposto tratamento diferenciado que estaria sendo concedido às Pessoas Politicamente Expostas (PPE). Em requerimento de informação protocolado na Receita, o parlamentar questiona a quantidade de pessoas que fariam parte dessa lista e quantas caíram na malha fina nos últimos cinco anos.
 
Desgaste
A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) garante que não há “a menor hipótese” de desistir de assumir o Ministério do Trabalho. À Coluna, diz que “vem sofrendo um desgaste desnecessário, em parte por ser jovem e mulher, que será revertido com as decisões que tomará à frente do MTE”. 
 
PT x Globo
Já está na corregedoria-geral da Justiça Eleitoral a representação do PT contra a Globo, Luciano Huck e Faustão. Na visão do partido, “lançaram a campanha do apresentador ao Planalto”. A representação passou direto pelo ministro Tarcísio Vieira, responsável pelo plantão de férias na corte. 
Corregedor 
Isso porque o PT não faz nenhum pedido de liminar e quer que o caso seja analisado pela corregedoria. O corregedor, no entanto, é o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, o mesmo que absolveu a chapa Dilma/Temer em julgamento do TSE em 2017.
 
Censura 
O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) acusa a Embrapa de “censura autoritária” ao criticar a demissão do pesquisador Zander Navarro. Navarro foi demitido na segunda-feira, 8, após escrever artigo no qual questiona os rumos da Embrapa e critica o presidente da estatal, Maurício Lopes. Para Cristovam, a decisão da empresa “inibe a inteligência institucional”. 
 
Revés
O Governo iniciou o ano colecionando reveses na Justiça. Além das decisões que impedem a posse da deputada Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho, o juiz de Recife, Carlos Kitner, derrubou – por meio de liminar – a Medida Provisória que abre caminho para a privatização da Eletrobras. 
 
Recurso 
A Advocacia-Geral da União irá recorrer da decisão. Diretor do Sindicato dos Urbanitários, Íkaro Chaves, afirma que, mesmo que em caráter liminar, a decisão sinaliza que a “Justiça brasileira não vai ficar parada diante de mais esse ataque ao patrimônio público”. 

Publicidade
Publicidade
Comentários