O porta-helicópteros

Coluna Esplanada / 10/02/2018 - 06h33

A Marinha do Brasil vai receber até outubro o seu primeiro porta-helicópteros, o HMS Ocean, que será comprado da Marinha britânica. Três comitivas de oficiais da Força brasileira já estiveram em Londres para tratativas e inspeções, e uma quarta tem viagem marcada – a fim de evitar que se compre uma embarcação obsoleta. O HMS, de 20 anos, está em plena operação para a OTAN no Mediterrâneo e o processo de transferência foi acordado. Ficará ancorado em Niterói (RJ). Ele tem capacidade para 600 tripulantes e operações simultâneas de até 12 helicópteros de grande porte.

Inspeções
A Marinha toma o cuidado na compra e inspeção. Quer evitar críticas como no caso do porta-aviões São Paulo, também adquirido da Grã Bretanha e agora ‘aposentado’.
 
Soberania
Em águas brasileiras, o HMS será rebatizado, mas o Comando da Marinha ainda não escolheu um nome. Uma das metas é utilizá-lo em especial na região do pré-sal.
 
Boca miúda
Rodrigo Maia, ao receber dirigentes da CUT e Força Sindical na residência oficial, soltou um “improvável” sobre votação da reforma da Previdência em fevereiro.
 
Zap com regra?
A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) tem um projeto de lei (347/16) curioso. A regulamentação do uso de WhatsApp. O texto cria regra para consentimento prévio de usuários para cadastro em grupos e envios de convites. Realmente, há muito lixo, até de desconhecidos, que chega ao seu telefone. Como barrar isso será um mistério: Os donos do aplicativo terão de criar mais ferramentas.
 
Fronteira aberta
A Polícia Federal e o Exército deverão reforçar suas tropas em Roraima. Adversários no Estado, os senadores Telmário Mota (PTB) e Romero Jucá (MDB) aliaram-se contra a entrada ilegal em massa de venezuelanos. “É um verdadeiro caos”, diz Telmário; Jucá defende “o fechamento da fronteira, realização de censo e triagem dos venezuelanos”.
 
Sobre contas
Vice-líder de Temer na Câmara, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) discursa como integrante da oposição ao defender o adiamento da votação da reforma da Previdência. Para o deputado, a reforma Tributária, pronta para o plenário, deveria ser “prioridade”.
 
Apadrinhado$
Alheio ao rombo nas contas de mais de R$ 120 bilhões, o senador Cidinho Santos (PR-MT) quer aumentar os salários de diretores de agências reguladoras para R$ 33 mil.
 
Ladainha
Da senadora Ana Amélia (PP-RS), aos que indicam ‘conluio’ do Judiciário para condenar Lula e tirá-lo da eleição: “Defender essa tese é desrespeitar o Judiciário”.
 
Diálogo
Dirigentes do Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) sinalizaram ao Planalto a possibilidade de reabertura de diálogo em torno da reforma da Previdência desde que sejam retiradas do ar as campanhas publicitárias contra os servidores púbicos. “Chegou ao absurdo de o Governo obrigar ministros a gravarem vídeos em defesa da reforma e divulgá-los nas páginas e redes sociais dos órgãos”, critica o presidente do Fórum, Rudinei Marques.

Publicidade
Publicidade
Comentários