Maia candidato

Coluna Esplanada / 07/03/2018 - 06h04

Presidente da Câmara Federal num cenário inimaginável há um ano, Rodrigo Maia (DEM) dará outro salto. Vai mesmo se lançar na disputa pelo Palácio do Planalto, mas não quer ser o candidato do governo de Michel Temer. Terá o aval do Palácio por ora. A interlocutores próximos, Maia justifica a candidatura como uma terceira via. Na sua visão, não há hoje um candidato do centro, apenas de esquerda – Ciro (PDT), Jaques Wagner (PT) – ou direita, como Alckmin (PSDB) e Bolsonaro (PSL).

Proteção 
A pré-candidatura de Maia também é uma tentativa de fortalecer o DEM, seu partido, que vem definhando desde que se chamava PFL. 
 
Na praça 
O DEM já tem pré-candidatos a governos de estado fortes, como Alberto Fraga no Distrito Federal, ACM Neto na Bahia e Ronaldo Caiado em Goiás.   

No hangar 
Ex-ministro da Aviação Civil de Dilma, apadrinhado pelo amigo então vice-presidente Michel Temer, o deputado Mauro Lopes (MDB-MG) foi chamado ao Palácio na véspera da denúncia em que o presidente foi incluído no inquérito sobre suposta propina na pasta, paga pela Odebrecht. A reunião de Temer e Lopes durou uma hora. 
 
Batom & coldre
O novo diretor-geral da Polícia Federal, delegado Rogério Galloro, vai manter os poucos superintendentes regionais nomeados pelo antecessor Fernando Segovia. Mas como convocou para diretores os delegados do DF e Ceará, deve nomear como substitutas nestas praças as delegadas Fernanda Costa e Vanessa Leite. 
 
Que exemplo!?
Apesar de parecer da AGU contrário à contratação da empresa Cebraspe/UnB pelo Ministério da Educação, a Ebserh, estatal vinculada ao MEC, vai contratar a Cebraspe sem licitação para elaboração e execução de concurso no valor de R$ 2,26 milhões.

Consulta rápida 
No esforço de revigorar suas atividades e fazer caixa, os Correios fecharam com a Serasa serviço de consultas de situação de CPF e CNPJ, inclusive de terceiros. 
 
Selva!
Com as bênçãos de Jair Bolsonaro, o general da reserva Paulo Chagas deixou o PRP e vai se filiar ao PSL. Disputará o governo do Distrito Federal como candidato do presidenciável.  
 
Tamanho do rombo
O Brasil perde R$ 146,3 bilhões em sonegação e mercado ilegal de produtos como vestuário, cigarros (R$ 16 bilhões), medicamentos (R$ 10 bilhões), óculos, software (R$ 6,1 bilhões), combustíveis (R$ 6 bilhões) e outros, levantou o Fórum Nacional Contra a Pirataria.  
 
Que bagulho é esse?
Continua polêmica a reunião do Conad. Após assistentes sociais deixarem a mesa na presença do ministro Osmar Terra, o conselho federal da OAB, em nota, desautorizou seus representantes a endossarem o novo texto da política nacional antidrogas, na qual o governo não vai apoiar projetos de legalização nem para tratamento de saúde. 
 
Contenção
Prefeitos que visitam a Câmara Federal atrás de emendas passam raiva na ala dos elevadores, com longas filas para acessar alguns dos 10 andares do Anexo IV. A Primeira-Secretaria da Casa retirou os ascensoristas que controlavam o fluxo.

Publicidade
Publicidade
Comentários