Gastança

Coluna Esplanada / 27/01/2018 - 00h34

Apesar da crise, com viaturas paradas e baixo efetivo, os gastos da Polícia Federal com cartão corporativo superaram os R$ 11 milhões em 2017. Na comparação com outros órgãos do Governo Federal, a PF, vinculada ao Ministério da Justiça, gastou mais, por exemplo, que os ministérios do Planejamento (R$ 8,2 milhões), da Educação (R$ 5,8 milhões), Defesa (R$ 3, 2 milhões) e só ficou atrás da Presidência da República (R$ 11,9 milhões). Do total, a Coordenação de Administração da PF desembolsou cerca de R$ 3 milhões por meio de cartões corporativos. As informações sobre os gastos são sigilosas. 

Ranking
A PF de São Paulo liderou os gastos com R$ 1.009.180,64, seguida das superintendências do Amazonas, Pará, Pernambuco e Minas Gerais. 
 
Sigilo 
No Senado, segue parado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) projeto que prevê o fim do sigilo dos gastos com cartões corporativos. 
 
Austeridade
O parecer do relator, Antônio Anastasia (PSDB-MG), sublinha que “uma maior transparência desses gastos se traduzirá em maior austeridade no uso dos recursos públicos e consequente redução de despesas”. 
 
Novela
Presidente Michel Temer quer pôr um ponto final na novela Cristiane Brasil/Ministério do Trabalho. A saída mais rápida é a indicação de um novo nome pelo PTB – cobrança que irá reforçar ao presidente da legenda, Roberto Jefferson. 
 
Ponto de fuga 
Ministros do Governo recorrem ao silêncio ou à ironia quando questionados sobre a contabilidade de votos para aprovar a reforma da Previdência em fevereiro. Carlos Marun, da Secretaria de Governo, desconversa: “Temos 286 bilhões... de motivos”. 
 
Déficit 
Foi uma referência ao rombo nas contas da Previdência divulgado no início da semana pelo Ministério da Fazenda. “Os votos favoráveis estão ‘em sinergia’ com o déficit”, teoriza. 
 
Desobediência 
Senador petista Humberto Costa (PT-PE) prega abertamente a “desobediência civil” após a condenação do ex-presidente Lula: “Se não fizermos isso estaremos comprometendo as futuras gerações do Brasil”. 
 
Latim 
Ministro da Defesa, Raul Jungmann, recorre ao latim ao comentar a decisão do TRF 4: “Roma locuta, causa finita”, que na tradução livre, segundo ele, significaria “Justiça falou, questão encerrada”. 
 
Patriota
Presidentes estaduais, deputados federais e estaduais do Patriota se reúnem amanhã, em Barrinhas (SP), para discutir a estratégia do partido para as eleições de outubro. 
 
Dividido
O partido está dividido entre lançar candidatura própria ou apoiar Jair Bolsonaro, que trocou a legenda pelo PSL. Ala do Patriota também defende apoio ao senador Álvaro Dias (Podemos-PR). 
 
Marchinha 
Tradicional bloco carnavalesco de Brasília, o Pacotão irá desfilar pelas avenidas do centro de Brasília com a marchinha “Presidente Despirocado”. 

Publicidade
Publicidade
Comentários