Dilma na berlinda

Coluna Esplanada / 28/09/2017 - 00h24

Se a ex-presidente Dilma Rousseff, apeada do cargo, mas com direitos políticos, quiser se candidatar ao Senado como espalha a amigos, terá muita dificuldade seja pelo Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro ou Minas Gerais, de onde partem convites. É alta sua rejeição. Sondagem da Paraná Pesquisas (2 mil entrevistados) mostra que 66,8% concordaram com o seu afastamento, e 30,4% foram contra. Sua rejeição eleitoral é alta. No Sudeste, 69,8% dos ouvidos a reprovam, e 27,3% a aprovam. E no Sul, a reprovação à petista chega a 72,1%, e a aprovam 27,2% dos entrevistados.

Olho vivo
A oposição na Câmara acompanha com lupa, via Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo, a liberação de emendas a deputados da base governista. Foram liberados R$ 65 milhões em emendas de uma semana para cá. A oposição prepara mais um aditivo à representação – por compra de votos – apresentada à PGR.
 
Intocáveis
A quarta reunião da CPI da JBS-BNDES manteve intocáveis o ex-presidente Lula da Silva e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Ontem foi aprovada a quebra dos sigilos bancário, telefônico e de e-mail do ex-procurador Marcelo Miller, cujo camburão da PF passou pela porta. A quebra do sigilo telefônico do dono da JBS, Joesley Batista, do executivo Ricardo Saud e do advogado do grupo, Francisco Assis, além do pedido de detalhes nos empréstimos do BNDES à holding J&F, também foram aprovados. Há acordo sigiloso na CPI para blindar Lula e Meirelles.  
 
Ameaçados
Diretores dos aplicativos Uber e Cabify enviaram e-mails e mensagens a clientes alertando sobre o PLC 28/2017 que tramita no Senado. Segundo as duas empresas, o projeto “ameaça acabar com os aplicativos de mobilidade urbana em todo o País.”
 
Alta rejeição
O projeto, que saiu da Câmara, de autoria do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), visa regulamentar o transporte remunerado privado individual de passageiros. O PL está na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, relatado pelo senador Pedro Chaves (PSC-MS). No portal do Senado, mais de 60 mil pessoas se mostraram contra o PL.
 
Controle Remoto
Está sobre a mesa da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, pedido da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão para que o MP entre com ação de inconstitucionalidade contra a Medida Provisória do Governo de Michel Temer que alterou o funcionamento e estrutura da Empresa Brasil de Comunicação. A Procuradoria sublinha no pedido a Dodge que as modificações na estrutura da EBC demonstram a intenção de enfraquecer a autonomia na formulação da linha editorial e da programação da emissora, “buscando, assim, torná-la mais vulnerável em face do mercado e, em especial, do Poder Executivo”.
 
É a eleição
Garoto propaganda da Reforma da Previdência, o secretário Marcelo Caetano trocou os holofotes por reclusão. Aos poucos que recebe no gabinete passou a admitir que a proposta de mudanças nas regras não será votada esse ano . . . nem em 2018.
 
‘Crime’ & Castigo
O PMDB irá anunciar nos próximos dias fechamento de questão para a votação da segunda denúncia contra o presidente Temer e, novamente, reforçar a mensagem de punição aos deputados que desrespeitarem a ordem do partido. Na primeira denúncia, seis deputados votaram contra Temer e foram suspensos de suas funções.

 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários