BNDES: nova taxa entra em vigor

Coluna Esplanada / 04/01/2018 - 00h13

As operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deixaram de ser regidas pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para serem referenciadas na Taxa de Longo Prazo (TLP), que está fixada para janeiro em 6,76%. O valor é muito próximo ao da TJLP, fixada em 6,75% ao ano para o primeiro trimestre de 2018 pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). À Coluna, o diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do BNDES, Carlos Alexandre Da Costa, posiciona que o banco “está em plena reinvenção do seu modelo estratégico para entrar na fase de menos incentivos da União e mais competitividade no mercado”. 

Ajuste 
A mudança integra a série de medidas do governo para tentar reequilibrar as contas públicas na medida em que reduz os subsídios implícitos custeados pelo Tesouro Nacional nos empréstimos do banco de fomento. 
 
Esforço? 
Apesar do alardeado esforço do Governo para angariar votos favoráveis à reforma da Previdência, incluindo sobreavisos aos ministros, dois deles curtem férias agora em janeiro. Mendonça Filho, da Educação, tira 4 dias; volta ao trabalho no dia 5. Osmar Terra, do Desenvolvimento Social, tira folga até o dia 10 e, depois, de 15 a 25.
 
Mote 
O PT já liberou material de campanha de Lula para 2018. O mote, no entanto, não clama “Lula presidente” e, sim, “Lula candidato”. Versão impressa dos discursos do petista, o material destila críticas ao Legislativo e ao Judiciário.
 
É fogo 
As festas de fim de ano reacenderam a polêmica sobre a proibição de fogos de artifício. No Senado, são mais de 290 propostas em torno do tema que não avançam por serem consideradas “autoritárias”. O meio termo é, justamente, o projeto que está mais avançado – só que na Câmara. Lá, a proposta dos deputados Ricardo Izar (PP-SP) e Goulart (PSD-SP) já está pronta para votação em plenário: os parlamentares querem proibir apenas os artefatos que produzem som alto.
 
Cheque-tensão
A fraude descoberta pela Polícia de Goiás em outubro, na Operação Alicerce do Ministério Público, deixou tensos o deputado federal Marcos Abrão (PPS-GO) e a tia senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO). Ela, até poucos meses distanciada do governador Marconi Perillo (PSDB), voltou às boas com ele, agora ‘aliadíssima’. 
 
‘Grupo’ político 
A Operação policial prendeu, por fraude em cheques-moradias na Secretaria de Habitação, um ex-vereador ligado ao grupo político de Lúcia Vânia. 
 
Férias Frustradas 2
Membros da família de BH expulsos de condomínio em Arraial D’Ajuda após a pancadaria com uma turma de Brasília juram que o deputado distrital Robério Negreiros (PSDB) envolveu-se na briga. Já o parlamentar alega que estava em outro condomínio e foi à delegacia acudir um cunhado que apanhou. A Coluna revelou a confusão ontem. 
 
Tempo fechou
Tudo começou quando, alegam os mineiros, familiares do deputado, hospedados em casa vizinha na Praia dos Corais, afixaram cartazes com palavras sobre a mineirada na praia ‘com mulheres feias’. Quatro homens espancaram o cunhado do distrital. O caso está na DP de Arraial D’ajuda.

Publicidade
Publicidade
Comentários