Bancada do rolo

Coluna Esplanada / 27/02/2018 - 23h33

Dez dos 20 deputados titulares do Conselho de Ética da Câmara respondem a processos na Justiça. São investigados por crimes que vão de improbidade administrava a danos ambientais e recebimento de propina no âmbito das investigações da Lava Jato. O colegiado, ao qual “cabe zelar pela observância dos preceitos éticos”, se reúne hoje para instaurar processos de investigação que podem levar à cassação dos deputados Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Paulo Maluf (PP-SP), Celso Jacob (PMDB-RJ) e João Rodrigues (PSD-SC) – os últimos três detentos no presídio da Papuda. 

Coitado do velho
Indignado com a situação de Maluf, seucliente preso, o advogado Kakay manda mensagens diárias via whatsapp para contatos, com argumentos jurídicos da defesa.
 
General na pista
Presidente do PP, o senador Ciro Nogueira convidou o General Augusto Heleno para ser o candidato a presidente do Brasil pelo partido. Heleno analisa. 
 
Vez de Wagner
O cerco da PF a Jaques Wagner começa a minar o Plano A de Lula da Silva para lançar o ex-governador baiano ao Planalto. Clima de barata voa no PT. 
 
Cassino$
Há um lobby forte nos bastidores do Congresso Nacional, de donos de conglomerados americanos e europeus, para o Congresso aprovar apenas a legalização dos cassinos e excluir o bingo e jogo do bicho das pautas. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia é simpático à ideia, capitaneada em especial por deputados do seu DEM.
 
Surpresa !
A indicação do general de Exército Joaquim Silva e Luna para o comando do Ministério da Defesa pegou militares de surpresa. O oficial é da cota pessoal do ex-ministro Aldo Rebelo, que aparelhou a pasta com dirigentes do PCdoB - partido do qual era filiado. 

É guerra
Conforme a Coluna antecipou em dezembro, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, rescindiu os acordos de delação de Wesley Batista, um dos donos da J&F, e de Francisco de Assis e Silva, ex-executivo do grupo. Mais um passo de Dodge para cercar o desafeto Rodrigo Janot, seu antecessor e desafeto, que bolou o acordo. 
 
Corte rachada
De quem transita na Corte, e bem perto das principais portas: Há dois grupos de ministros no STF, os que veem tentativa de derrubar a Lava Jato, e os que enxergam manobras para liberar fichas-sujas. Um grupo da toga grita, outro silencia. 
 
Batalha partidária
A Comissão de Ética Pública da Presidência acolheu denúncia do ex-sem-terra petista e ex-reitor da UnB José Geraldo contra o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM) – que será notificado hoje para se explicar por que quer derrubar a disciplina “O Golpe de 2016” do curso de um professor de Ciência Política da universidade. 
 
Risco iminente
São tantos os candidatos enrolados com a Justiça e outros barrados, que a Câmara Federal quer confrontar o STF e aprovar lei que a limita retroatividade da Lei da Ficha Limpa. Em outubro de 2017, a Corte decidiu que a inelegibilidade para crimes de abuso de poder econômico ou político vale para condenações anteriores a 2010 – quando a Ficha Limpa passou a valer. 

Publicidade
Publicidade
Comentários