Interessados em adquirir imóveis devem estar preparados. Vivemos agora o momento ideal para quem avalia mudar de casa ou investir no segmento. Mas é preciso ficar atento. Agilidade é fundamental para quem quer aproveitar a onda favorável que se forma em 2018, mais especificamente neste primeiro semestre.

O clima no mercado imobiliário, enfim, volta a ser positivo. Após uma crise sem precedentes nos últimos anos, o segmento começa a sentir os efeitos positivos do início da retomada.

Como muitos mercados, o imobiliário também é cíclico e, de certo modo, era esperado que a euforia vivida entre 2007 e meados de 2013 pudesse levar a um quadro de recessão no setor. O que não foi possível dimensionar era o agravamento causado pela crise econômica, que potencializou o impacto no setor, derrubando os preços dos imóveis.

Em janeiro, a Caixa Econômica Federal anunciou a retomada da linha de crédito Pró-Cotista – assim como o aumento do teto para financiamento de imóveis, agora em 70%. Anúncios como esse têm sido feitos pelos bancos, que estão retomando o apetite pelo crédito imobiliário. 

Isso se deve à queda da inflação que possibilitou uma redução acentuada da taxa básica de juros, que se encontra no menor patamar histórico. Além disso ocorreu um aumento da massa salarial real, da confiança do consumidor e, consequentemente, da demanda.

Ou seja, a retomada do crescimento econômico que se desenha, a médio prazo, é, obviamente, uma grande notícia para todos os brasileiros. No entanto, aqueles que desejam aproveitar para comprar imóveis com preços mais atraentes, devem estar atentos a esses movimentos de mercado. 

Com o reaquecimento econômico, as pessoas começam a se movimentar, voltando a pensar em deixar seus atuais imóveis para comprar outro de valor mais elevado. Aumenta também o número de interessados na aquisição de imóveis para investimento, bem como daqueles que vão adquirir o seu primeiro.

Atualmente, ainda é relativamente grande a oferta de imóveis no mercado, e é isso que levou os preços a um patamar mais baixo. Mas, a médio e longo prazos, os fatores mencionados, dentre outros, tendem a ajustar os preços.

Assim, o momento atual é interessante para quem pensa em investir no setor, pois uma janela de oportunidade se apresenta, mas o difícil é avaliar por quanto tempo ela permanecerá aberta.