“É aquilo que você dá atenção”. Afirmou categoricamente o mestre, para o nosso espanto, ao lhe perguntarmos sobre o que era a verdade.

“Não existe verdade sem atenção, mestre sem discípulos, religião sem fiéis, artista sem plateia e muito menos criação sem intenção”! Concluiu Ele, dando de ombros, certo de que já havia nos inoculado o essencial sobre o assunto para a nossa reflexão...

Sabemos que pensamentos, sentimentos, desejos, sonhos e emoções criam a realidade física que vivemos e desfrutamos.

A rigor, todas as experiências porque passamos são frutos de nossas próprias escolhas, conscientes ou não.

Assim, em tese, cada um de nós cria sua própria verdade que pode ser compartilhada com seus semelhantes e com o universo.

Santos, sábios, cientistas, visionários, demagogos, artistas, soberanos, políticos, futurólogos, ditadores, escritores, videntes, filósofos e inventores construíram e deixaram o seu legado bom ou ruim para a humanidade, conforme suas obras e de acordo com o que acreditavam.

Pessoas carentes, imaturas e inseguras, que não confiam em si próprias, que possuem baixa autoestima se inclinam a procurar respostas externas às suas perguntas e inquietações naturais da condição humana, tendendo a dar atenção aos discursos alheios, alugando os seus ouvidos e apagando-se existencialmente.

É preciso estar o tempo todo nos inquirindo em que e em quem estamos nos segurando... É necessário estar atento a que e a quem estamos dando poder!

Na realidade, a verdade está dentro de cada um... Somos seres únicos em termos universais, insubstituíveis, e com uma missão particular a cumprir no Planeta!

Precisamos aprender a confiar mais em nós mesmos, na nossa intuição, nos nossos sentimentos e na natureza que nunca falha!

Na prática, a verdade é aquilo que num determinado momento mais nos convém, mais damos valor, aquilo que mais nos atrai ou que toca mais fundo no coração da gente!

Procuramos o tempo todo, embora não tenhamos consciência disso, a alegria sem limites... Atingi-la é adentrar o nirvana, é chegar ao ápice, é experimentar todo o prazer, poder, gozo e realização que rejubila nossa alma! 

Muitas vezes, o que é um erro, contentamo-nos com pequenas realizações, esporádicas satisfações, migalhas de contentamento, míseras esmolas emocionais que mascaram nossas verdadeiras necessidades emocionais, nossas secretas carências existenciais, nossos legítimos desejos humanos, deixando de mergulhar fundo para atingir os nossos verdadeiros anseios por liberdade, felicidade e prosperidade!

A verdade exige atenção deliberada e, via de regra, está dentro dos nossos sentimentos!

Cuide bem de você!