“O objetivo da vida é construir pontes!”, resumiu o Mestre, após contar essa bela, antiga e famosa história a seus atentos discípulos, e que passaremos a narrar a seguir:

“Era uma vez um andarilho, que pediu pouso numa propriedade rural, exausto da caminhada diária e por já estar escurecendo na trilha que seguia, sem um aparente destino...”

“Sou um viajante e um experiente artesão! Disse, ao ser recebido à porta... Gostaria de um lugar para comer e dormir por hoje e, em troca disso, poderia fazer algum serviço de que precise de imediato, como pagamento por sua generosidade!”.

“Que sorte tenha aparecido, disse o proprietário com viva alegria... Gostaria que construísse um muro, apontando para o riacho, na divisa da fazenda dele com o vizinho.”

Mais tarde, escutou do fazendeiro as razões para tal obra que tinha tanta pressa em realizar...

“Estamos em pé de guerra, disse o dono da fazenda... Eu e meu vizinho! Já fomos muito amigos, mas hoje está tudo acabado entre nós! Quero que construa um muro bem alto para que eu não tenha mais que ver a cara dele!”

“Sim senhor! Respondeu o andarilho... Amanhã bem cedo começo o serviço!”

No dia seguinte, mal raiou o sol, ele começou o trabalho, martelando e emendando aqui e ali, arquitetando no chão uma bonita estrutura. No fim da tarde o hóspede avisou:

“Ainda falta erguer a estrutura e fazer os acabamentos, mas o senhor pode ir dormir que amanhã cedo o serviço já estará pronto!”. Continuarei trabalhando até mais tarde, pois amanhã partirei antes do sol nascer, mas prometo que deixarei a sua obra acabada!”

O fazendeiro agradeceu ao forasteiro, recolheu-se e foi dormir... Custou a pegar no sono, intrigado com as palavras que ouviu daquele estranho visitante, ao se despedirem:

“Obrigado, senhor, pela hospedagem, mas tenho que partir amanhã antes do nascer do sol. Ainda tenho muitas pontes a construir pelo mundo!”

No dia seguinte, compreendeu tudo num relance, ao vislumbrar a ponte construída pelo inusitado forasteiro sobre o rio, ligando sua propriedade à do seu velho e antigo amigo!

Movido por uma intensa emoção saiu correndo, atravessou a recém-construída ponte e abraçou fortemente o vizinho que emocionado já também o esperava de braços abertos, do outro lado do riacho!

Na realidade são muitas as oportunidades que temos no nosso dia a dia, no trabalho, no lar, na escola, na rua, ao longo de toda a nossa existência, de promovermos um encontro, de contribuirmos para uma reconciliação...

Perdê-las significa abdicarmos de aproximar contrários, unir opostos, apaziguar contendas, superar diferenças... 

Afinal, nosso maior objetivo na vida é construir pontes!

Cuide bem de você!