“Estão afim de encarar seus anjos e demônios interiores”? Iniciou o Mestre num tom meio estranho...

“Está afim de encarar os seus verdadeiros medos”? Continuou ele, instigante...

“Está afim de encarar que você é poderoso de verdade”? Disse o Mestre em tom provocador, nunca antes experimentado por nós...

“Estão preparados para aceitarem o poder que vocês não sabem que têm”? Continuou ele, com aquele seu sorriso misterioso de caubói, entortado no canto da boca...

“Está disposto a lidar com a poderosa força interior que possui e que tem reprimido”? Perguntou-me diretamente com seus olhos negros fixos nos meus...

“Vão saber discernir entre poder e magia, liberdade e opressão, arrogância e humildade, coragem e valentia, soberba e compaixão, indignação e submissão, fé e superstição, adversário e inimigo, missão e vaidade” Completou o Mestre, já baixando o tom.

A verdade é que todos nós procuramos nos “emponderar”, especialmente, nos dias atuais, onde prevalece a competição, a individualização, a lei da selva, a disputa...

Todos nós almejamos um lugar ao sol, qualidade de vida, crescimento profissional, sucesso na carreira e estamos sempre procurando meios de nos aperfeiçoarem, cursos, treinamentos, técnicas e terapias que melhorem nossa resiliência e flexibilidade...

O “X” do problema está na hora “H”...!

A questão está no momento de aplicar o que aprendeu ou pensou que incorporou.

Diz o dito popular: “Quer conhecer bem uma pessoa? Coloque uma coroa na cabeça dela!”

A maioria de nós não está preparada para lidar com os novos recursos que aprendemos, com as novas possibilidades de influência que descobrimos, com os novos poderes que dispomos...

Para alguns, falta o “time” certo! Ansiosos, não sabem esperar o momento certo de agir. Apressados, declaram-se, atropelam, precipitam-se, colocando toda a estratégia a perder...

Para outros, sobram deslumbramento, euforia, ingenuidade, imaturidade que, normalmente, os faz “brincar com fogo” e se queimarem na hora marcada...

Outros se tornam arrogantes, vaidosos, soberbos, autoritários e cruéis, transformando-se em ditadores, opressores, tiranos e moralistas...

Há aqueles que simplesmente não dão conta mesmo de tal carga emocional e psicológica que o poder emana. “Amarelam” no instante crucial, dobram os joelhos, amolecem as pernas, baixam os olhos, apagam sua luz “na hora da onça beber água”...

A verdade é que a natureza é complacente com a ignorância, mas não protege a consciência...

Cuide bem de você!