Era uma população carente, desassistida e esquecida, onde os políticos só aparecem nas ocasiões propícias para pedir votos. Convidado a ministrar uma palestra para a comunidade local, o Mestre resolveu contar a seguinte história, diante do olhar inquieto e curioso dos jovens, ansiosos por um “salvador” que trouxesse a esperança e progresso para a região.

“Era uma vez um jovem sonhador que, como os demais habitantes do lugar, acreditava piamente na vinda do herói que iria transformar a vida de todos e tirar aquele lugar do mapa da miséria nacional. Ele ficava horas e horas a reparar os detalhes esculpidos na montanha cujas feições, dizia a lenda, seriam iguais às daquele que estaria por vir. Um dia apareceu um general muito parecido com a face esculpida na rocha, e todos acreditaram ser ele o eleito pelos céus para redimir toda a região. Foi saudado com urras e vivas e aclamado com todas as honras de um chefe de estado. Com o tempo a população percebeu o engano e o general desapareceu como chegou. O jovem não perdeu a esperança e encheu-se dela no dia em que apareceu um político de renome com as feições muito parecidas com as do alto da montanha. Novamente todos acreditaram ser o enviado dos deuses e o aclamaram como tal. Foi grande a decepção geral quando, passado um tempo, perceberam que não se tratava de quem esperavam. Apesar da descrença do povo o jovem não perdia a fé de um dia ver chegar o verdadeiro abençoado que iria mudar a realidade de sua região. Não tardou a aparecer um profeta, cuja fisionomia muito se assemelhava à da montanha. Logo, todos o saudaram com alegria e o reverenciaram como o verdadeiro emissário celeste, até que passado algum tempo, perceberam não se tratar daquele por quem esperavam há tanto tempo. Passaram-se muitos anos e o povo já tinha se esquecido daquela velha história e nem se lembravam mais da antiga promessa. O jovem que já tinha se tornado um adulto maduro, cultivava uma barba longa, um cabelo espesso e um olhar profundo. Tinha se transformado fisicamente mas continuava diariamente a subir até o pé da montanha e meditar sobre a lenda que insistia em não se realizar”.

Um dia, retornando de lá, para sua surpresa começou a escutar gritos e exclamações de euforia à sua volta, vindo de todos os lados por onde passava, sendo acompanhado pela multidão que só crescia, apontando o dedo para sua face, gritando em voz alta: “É ele! Ele é o nosso herói! Ele é aquele que esperávamos o tempo todo! Vejam, sua face é igualzinha à da montanha! Finalmente chegou o nosso benfeitor! Estava o tempo todo entre nós e não percebíamos! Aclamado e eleito pelo povo, tratou de realizar todas as obras aguardadas há décadas pela população e após sucessivos mandatos transformou a região num dos lugares mais prósperos da nação.

O Mestre não encerrou sua palestra sem antes dizer a todos que, na maioria das vezes, a solução está mais próxima de nós do que imaginamos. Às vezes, está tão próxima que não a enxergamos de imediato. Porém, a maior lição que o Mestre queria ensinar àquela plateia é que não devemos ficar esperando um “salvador da pátria”, um estrangeiro, um forasteiro, um “enviado”, um “iluminado”, para resolver os nossos problemas. A solução muitas vezes está do nosso lado, muitas vezes está ao nosso alcance, na maioria das vezes dentro de nós!

Cuide bem de você!