“Prevenir é melhor do que remediar”, já diz o ditado popular. Entretanto, grande parte da população não leva a recomendação tão a sério quando o assunto é saúde e deixa para procurar ajuda médica a partir do momento em que a doença se manifesta ou já está em estágio avançado. A medicina preventiva é uma especialidade médica focada na constante manutenção da saúde para antecipar enfermidades, precavendo o paciente de possíveis problemas ou doenças com check-ups de rotina, monitoramento de hábitos alimentares e prática de atividades físicas, entre outras ações.

A atitude preventiva garante uma melhor qualidade de vida e tranquilidade às pessoas, sendo também mais eficiente ao gerar menos gastos que a medicina curativa. Entretanto, o hábito de ter cuidados com a saúde ainda não faz parte do cotidiano do brasileiro. 

Cerca de 70% das doenças poderiam ser evitadas caso as pessoas tomassem consciência da importância dos exames periódicos para avaliar o funcionamento dos órgãos e do corpo em geral. Quer seja por falta de recursos financeiros ou mesmo interesse, quando o assunto é cuidado com o bem-estar acaba-se “empurrando com a barriga” as atitudes preventivas que resultem na preservação da saúde.

Algo que se observa atualmente é que poucas famílias têm fidelidade com um médico em específico - um que seja de confiança e que acompanhe não só o histórico do paciente como também dos parentes mais próximos. A maioria, seja em função da urgência de um diagnóstico rápido ou outro motivo qualquer, considera fatores como horário disponível do médico e preço da consulta. O que estiver de mais fácil alcance e dentro do orçamento ganha a preferência. 

Em decorrência do avanço tecnológico na medicina, muitas patologias podem ser detectadas antes mesmo de darem os primeiros sinais. E é aí que entra a necessidade de um check-up rotineiro para diagnosticar doenças que ainda não se manifestaram. Engana-se quem acha que só adultos ou idosos devem fazer essa avaliação. Pessoas de todas as idades podem se submeter à realização de exames, que variam conforme a faixa etária, afinal, algumas doenças não escolhem idade para aparecer.

Os exames por imagem são cada vez mais inovadores e minimamente invasivos, proporcionando resultados precisos e sem causar grandes traumas na realização do procedimento. Quem busca longevidade deve sair da zona de conforto, deixar os medos para trás e apostar na medicina preventiva como uma forte aliada do bem-estar. Ir ao médico não é sinal de doença ou fim da vida, mas sim um ato de cuidado e amor próprio para viver mais. 

* Diretora da Redimama, Centro de referência em diagnóstico mamário de Belo Horizonte