A flor só desabrocha quando se sente segura, bela, perfumada, colorida e desejada... Não são as condições meteorológicas lá fora que fazem as pétalas do botão se abrirem... Já vi flores se abrirem no inverno, debaixo de chuva, em meio à guerra, no cemitério, na lama, entre pedras... O mundo inteiro está sempre à espera desse momento maravilhoso o tempo todo... As condições existem naturalmente em qualquer época... Porém, sem a permissão interna da flor, a conexão não acontece... E o milagre fica assim adiado mais uma vez! 

O comando externo é latente e perpétuo, funciona o tempo todo e não é desativado nunca... Todavia não é suficiente para que as coisas funcionem bem... Existe sempre a necessidade da vontade própria, da licença, da anuência, do consentimento... Tudo na natureza funciona assim, essa é a lei universal, à qual também nós humanos estamos submetidos! No fundo tudo depende também de nós!

As condições estão, de certa forma, criadas e à espera de nossas decisões e desejos... Não faria sentido de outra forma... Não haveria lógica nenhuma nascer sem poder realizar o que aspiramos... O Universo não é tão perverso nem sádico a este ponto! Tudo o que almejamos já está ao nosso alcance potencial no dia em que decidimos nascer nesse planeta... Mesmo porque viemos com uma missão acordada, com um objetivo traçado, com uma meta a ser cumprida, e todo o pano de fundo, todo o palco, todo o cenário do grande teatro da vida é cúmplice nessa jornada... Fracassar é uma possibilidade, é uma opção nossa, faz parte do nosso livre arbítrio, mas não é uma conspiração cósmica...

Aliás, é interessante nos perguntarmos o motivo pelo qual criamos essa barreira que nos impede de brilhar mais, de realizar mais, de conquistarmos mais... A razão é uma só: baixa autoestima!

Infelizmente a grande maioria dos seres humanos se sente infeliz, frustrada, desanimada ou no mínimo insatisfeita, tudo em razão de não conseguir realizar o que almeja, conquistar o que sonha... Isso lhes remete a um estado emocional desfavorável, que funciona como um reforço maior para diminuir ainda mais a sua já baixa autoestima, alimentando continuamente este corrosivo círculo vicioso que arruína qualquer existência...

Como não conseguem lidar com tal situação incômoda e delicada, as pessoas procuram fora delas alguma solução para os seus problemas, caindo nas armadilhas da superstição, do perfeccionismo, da mania de querer agradar, na perda da confiança, da graça, da criatividade...

Mas nem tudo está perdido! Autoestima é coisa que podemos esquecer, mas que nunca é totalmente perdida! Deixar de buscar aprovação dos outros, desativar o foco no que lhe falta, voltar-se para dentro de si mesmo, entender que o mais importante e essencial já está aí dentro e à disposição de você, vai fazer com que se sinta novamente bem e paulatinamente recupere a alegria interior!

Não há então necessidade de ficar aflito, preocupado ou impaciente... Os resultados na hora certa irão aparecer desde que você tenha mantido a abertura e esperança... Você só e sempre atrai aquilo que sente! Portanto, não é preciso ser ansioso... Só receptivo! Cuide bem de você!