Mais da metade das mulheres que são mães também trabalham, seja no mercado formal ou informal, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Equilibrar essa dupla jornada não é simples e pode gerar sentimentos como culpa, por pensar que algo não está saindo como o planejado. Para isso, pontuo algumas ações que podem amenizar esse cenário. 

Primeiramente é preciso aceitar que é possível ser mãe e ter uma profissão. Deixar de lado crenças equivocadas sobre o mito da “mãe perfeita”, que traz sofrimento, culpa e desconforto para tantas mulheres, é fundamental. Além de cuidar de si, para estar bem, possibilitando que as atividades maternas e profissionais sejam desempenhadas com ânimo, leveza e alegria.

É importante focar e se dedicar à atividade daquele instante, dividindo cada tarefa para, assim, evitar passar sentimentos de ansiedade e inquietude para os filhos. Tente desacelerar o ritmo quando estiver em casa, não falar ou pensar demais no trabalho e nos afazeres domésticos. 

Na companhia dos pequenos, dedique esse tempo para realmente ficar com eles. É válido fazer um esforço para que esse momento seja divertido e proveitoso para vocês.

Não abrir mão de tudo, em favor de ser mãe, é outro ponto. Isso passa pela cabeça de nós mulheres, mas precisamos avaliar se o preço não será muito alto. 

É necessário compreender seus limites e aceitá-los, como parte da condição do ser humano. Cada mulher tem uma maneira de ser e, para ser boa mãe, não é preciso se enquadrar em um modelo único.

Abrir o olhar para as verdadeiras necessidades é um caminho para diminuir frustrações e a pressão à qual nos submetemos. O amor e sintonia do casal é outro pilar que leva harmonia para os filhos. Valorizar essa parceria ajuda no equilíbrio da vida familiar e profissional, assim como dividir e delegar funções.

Estabelecer uma rotina também é um recurso positivo para organizar melhor o tempo. Disciplina traz bem-estar e conforto, aumentando a capacidade de se alternar momentos produtivos e de descanso. Tenha uma agenda, por exemplo, e consolide o hábito de anotar as tarefas do dia, e aquilo que precisa lembrar. 

Esse movimento nos ajuda a perceber que estamos inventando pendências desnecessárias. Quanto mais tempo desperdiçamos, menos sobra para os filhos e para o descanso. Tente fazer as coisas com alegria, bom humor (palavrinha mágica), valorizando cada parte do seu dia e da sua vida.