Numa longa espera em consultório médico, João de Deus contava a um recém-conhecido: eu só gosto das coisas certas. Criei meus filhos assim, seguindo a religião e a doutrina. Lá em casa, todos estudaram, todos trabalham. As minhas três filhas são casadas e meu filho também.

Sou casado há 40 anos. Na família não tem esse negócio de separação não. Casou, é para sempre. Vou sempre à igreja. Eduquei ensinando os filhos a serem tementes a Deus. Tenho seis netos. Agora o mais velho está estudando bastante. Tem 17 anos, é muito inteligente, e quer ser médico. É meu orgulho. 

Trabalhei por 35 anos como mata mosquito da Sucam e me aposentei. Hoje me ocupo dos passarinhos, caminho, leio, gosto de televisão e internet. Cuido da casa junto com minha esposa. Ela anda cansada porque, além de todos os problemas de saúde que tem, das dores nas juntas, ainda vende cosméticos, andando pelo bairro. 

Eu arrumei uma hérnia de disco, coisa que dói muito. Estou medicado, e a danada está controlada, mas já sofri demais. Tenho medo que as dores voltem e, por isso, preciso emagrecer. Tenho diabetes e quando engordo, a glicose sobe. Para meu caso está indicada a hidroginástica, que evita impacto na coluna, mas o convênio não cobre. Então, um amigo me sugeriu levar à clínica de fisioterapia o pedido médico de hidroterapia, tratamento que meu plano cobre e eu preciso, mas não gosto, e, na verdade, faço hidroginástica. Estou gostando muito. 

Moço, aquilo é muito bom! O tempo está quente, me refresco lá e ainda emagreço. O ruim é que só posso fazer 30 aulas e depois tenho de dar um intervalo. Para não parar de todo, eu consigo com outro médico um pedido de hidroterapia, agora no nome da minha mulher, que tem problema no joelho, mas não quer ir. Assim, eu faço as 60 aulas. Isso me dá mais ânimo, e estou muito melhor.

Meu convênio é muito caro. Acredita que pago todo mês quase R$ 900 para mim e a mulher? Algumas vezes os meninos ajudam. Aposentado, você já viu, o dinheiro é curto, mas meus filhos ganham bem. Não devo nada. Todas as contas são pagas no vencimento, pois sempre fui muito cuidadoso e controlado. Como não tenho dívidas, não fosse um ou outro problema de saúde, a vida estaria bem tranquila agora. Assim, vamos vivendo com tudo nos conformes. E você, amigo? O que veio tratar aqui?

Nota: Em 10 de março de 1986 começava na Rede Globo uma novela chamada Cambalacho, a qual conta a história de dois trambiqueiros que encabeçavam a trama e isso popularizou o termo.

No dicionário: cambalacho é negócio, especialmente aquele em que há fraude, trapaça, intenção de prejudicar a outra parte. Plano para enganar outrem ou obter vantagem a custa deste; conluio, tramoia.