A Secretaria de Meio Ambiente de Montes Claros irá realizar chamamento público para terceirizar a administração do Zoológico Municipal Amaro Sátiro de Araújo. Fechada provisoriamente desde maio, a unidade não vai mais abrir sob a administração do município. Enquanto o futuro não é definido, o espaço permanecerá fechado, e os animais serão transferidos para outras unidades ambientais credenciadas pelo Ibama. 

O zoológico foi atacado por vândalos no último fim de semana. A invasão resultou na morte de um jacaré-de-papo-amarelo, em uma macaca ferida a pedradas e no roubo de alimentos. 

Segundo a pasta, em média, o gasto mensal com o zoo é de R$ 200 mil, valor que inclui a alimentação dos 105 bichos, pagamento da folha salarial e manutenção da estrutura. 

O veterinário e coordenador  do Hospital Veterinário da Funorte e professor, Lucas Mendes, destaca que o fechamento do zoo vai afetar diretamente o trabalho científico. 

“Acarretará num déficit para os pesquisadores e acadêmicos da região, sobretudo para as áreas de ciências biológicas e veterinária. Diversos estudos já foram conduzidos no local, que é o único do tipo em todo o Norte de Minas. Estaremos perdendo mais do que um ambiente de lazer, um espaço de educação, cultura, pesquisas e atividades de extensão universitária”, disse.

Segundo relatos de vizinhos, sem os vigias, demitidos no início do ano, o zoológico tornou-se ponto para o consumo e tráfico de drogas. Antes o espaço sediava ações de educação ambiental, mas neste ano a prefeitura interrompeu a visitação e os animais continuaram na unidade com a equipe de profissionais reduzida. 

Até o momento, somente a ONG Ave mostrou interesse em administrar o zoológico. A instituição que quiser manifestar interesse deve estar totalmente regularizada e com todas as Certidões Negativas de Débitos (CNDs) em dia.