Montes Claros contava ontem os estragos da chuva de domingo. Segundo a estação meteorológica, os ventos chegaram a atingir até 100 quilômetros por hora. E as chuvas devem continuar no Norte de Minas esta semana.

O Corpo de Bombeiros recebeu 50 ligações. A chamada mais grave veio do bairro Alto São João, onde uma árvore caiu sobre um carro de passeio com quatro pessoas dentro. Apesar do susto, ninguém se feriu. 

Em apenas uma hora, choveu 12,2 milímetros, o esperado para a semana toda. Além do aguaceiro, o que assustou os montes-clarenses foi a grande quantidade de raios e fortes trovões que acompanharam as pancadas de chuva. No bairro São José, um coqueiro pegou fogo após ser atingido por um raio, e as chamas foram controladas pelo Corpo de Bombeiros.

“Uma massa de ar está sobre Minas desde sábado, por isso tivemos essa chuva tão violenta”, explica o meteorologista Renan Lauton.
 
NO CHÃO 
Os ventos arrancaram árvores, postes e telhados – os bombeiros registraram 28 quedas de árvores, sendo que uma delas atingiu um automóvel. Os militares tiveram que cortar partes dos galhos para socorrer quatro pessoas da mesma família.

Já no bairro Vila Guilhermina, uma árvore caiu sobre o muro de uma residência. Não houve feridos em nenhuma das ocorrências. 

Diversos bairros, até o fechamento desta edição, estavam sem energia elétrica, pois parte da fiação ficou comprometida após o tombamento das árvores e também devido à queda de vários postes. 

A Cemig registrou problemas em 13 postes, e somente na avenida Sidney Chaves, um dos principais acessos da cidade, oito caíram. O aeroporto funcionou com geradores, mas não havia voos programados. 

Segundo a Cemig, 293 residências ficaram sem energia elétrica. A recuperação das redes foi feita durante a segunda-feira e continuaria nesta madrugada. A previsão é a de que a situação se resolva até a tarde de hoje. 

A Defesa Civil não registrou ocorrências de maior gravidade.