O Sindicato das Indústrias da Construção Civil prevê crescimento de 2% para o setor em 2018, depois de quatro anos de recuo em Minas. Em Montes Claros, desde o segundo semestre de 2017 já é possível notar a retomada de obras paralisadas devido à crise financeira. Além disso, a decisão da Caixa Econômica Federal de reabrir, neste mês, a linha de crédito com o uso do FGTS pode alavancar as vendas. 

Luciana Souza é uma das responsáveis pela concessão de crédito imobiliário na cidade e diz esperar um aumento na procura de interessados devido à decisão da Caixa. “A reabertura da linha de crédito tende a reaquecer o mercado. Acreditamos que a procura será maior por unidades prontas e em processo de conclusão. Alguns imóveis já prontos em áreas valorizadas tiveram redução no valor para evitar prejuízos significativos e com isso a procura será a esperada como se foi projeta no início da obra”, otimiza Luciana. 

De acordo com empresas do setor imobiliário da cidade os metros quadrado com Imóveis mais valorizados são Centro, Ibituruna, Jardim São Luiz, Melo e Todos os Santos.  

OPORTUNIDADE 
Aproveitando os tipos de financiamento oferecidos esse ano, o fotógrafo Pedro Ferreira cogita adquirir a tão sonhada casa própria. Ele se casou em julho do ano passado e pretende sair do aluguel. 

“Vou aproveitar a liberação da linha habitacional Pró-cotista que é a mais barata depois do Minha Casa, Minha Vida, para tentar financiar. Acredito que será mais fácil conseguir já que a economia está melhorando se compararmos aos dois últimos anos”, diz Pedro.

Para a economista Edna Santos sem dúvidas os recursos liberados para o financiamento do imóvel darão uma aquecida no mercado local. “Os valores dos imóveis variam muito com a época do ano aqui na cidade. Durante o período de recessão os imóveis populares movimentaram o mercado imobiliário. Por isso não se via a construção de grandes edifícios e sim construções menores”, pondera. “Com a retomada econômica e a melhora no setor da construção, responsável por fazer girar quase 50% da economia, o mercado aquece gradativamente”, acrescenta a economista.