Montes-clarenses que pretendem viajar para locais onde há registro de febre amarela, como a Região Metropolitana de Belo Horizonte e a área Central do Estado, estão buscando vacinação nos postos da cidade. Como a imunização demora dez dias para fazer efeito, quem pretende passar todo o feriado prolongado protegido precisa correr. 

O motorista Júlio Souza conseguiu se vacinar na Unidade de Atenção Básica à Saúde São Judas e relata que a busca foi por causa da divulgação do primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti de 2018, revelando que 8% das casas do município possuem focos do mosquito. 

“Na minha casa todos nos vacinamos. Estamos planejando viajar para BH durante o feriado, então, é melhor se proteger. A minha esposa cursa enfermagem e me contou que o Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue e da febre amarela urbana e que os índices na cidade não são dos melhores”, relatou Júlio. 

Além de dengue, chikungunya e zika, o inseto também pode transmitir a febre amarela urbana, não registrada no Brasil desde 1942. Em Montes Claros, ainda não há nenhum caso suspeito da doença neste ano. Em 2017, foram registrados sete casos suspeitos, todos descartados. Já em macacos, seis morreram, quatro em perímetro urbano. 

A atendente de telemarketing Andreia Teixeira, assim como toda a população, tem buscado a vacina nos postos de saúde, porém nem todas as unidades de saúde estão capacitadas com salas de vacinação. “Consegui me vacinar no bairro Maracanã. Moro no Cintra. Eles encaminham a gente para lá. Foi tudo muito rápido. Acredito que a população ainda não tenha tomado a noção da gravidade da situação”, disse. 
 
JANAÚBA
A suspeita da doença em um adolescente de 17 anos em Janaúba provocou o alerta nos moradores da cidade.

Porém, órgãos de saúde do município esclarecem que o jovem reside em área urbana e não viajou para locais de risco nos últimos dias, além de estar com a vacinação em dia. Por isso, a chance de ele ter contraído a doença é mínima. No Estado, já são 36 mortes confirmadas por febre amarela.