A Polícia Civil abriu inquérito para apurar ação criminosa no Zoológico Municipal Amaro Sátiro de Araújo. No fim de semana, o local foi invadido. Aproximadamente 100 kg de carne e de ração que seriam dadas aos animais foram roubados. Além disso, um jacaré-do-papo-amarelo, ame-açado de extinção, foi morto a pedradas. Uma macaca também foi ferida. Assim como escolas e creches da rede municipal, o espaço é mais um sem vigias no período noturno. 

O zoológico abriga cerca de 105 animais, entre mamíferos, aves e répteis. O jacaré morto tinha pelo menos 30 anos. A causa da morte ainda será confirmada por exames, mas a suspeita é a de que os criminosos mataram o réptil usando um arpão e pedras. 
 
HISTÓRICO
Em maio a prefeitura determinou o fechamento do Zoológico Municipal alegando que o local se encontrava em uma “situação caótica” e também pelo fato de ser localizado “numa área urbana de muito movimento”, o que inviabilizaria o funcionamento pelo estresse provocado nos animais. 

Contudo, o motivo para o fechamento teria sido, segundo servidores, a demissão de pessoas que trabalhavam no local e que recebiam os visitantes. A ausência de funcionários fez com que a visitação fosse suspensa por tempo indeterminado.

Até o fechamento, o zoológico de Montes Claros desenvolvia ações de educação ambiental por meio da visitação do público. Eram abordadas questões de preservação do meio ambiente e os danos causados pelo tráfico de animais. 

No local também eram desenvolvidas atividades de pesquisa científica, além de ser um dos principais pontos turísticos da cidade. 

A ambientalista Cleuza Vidal vê com preocupação a condição atual do zoológico. “Não é a primeira vez que as animais são vítimas do descaso do município. Também denunciamos a falta de cuidados. Os animais estão magros e tristes. Algo precisa ser feito, já que o zoológico não está ativo”, cobra. 

“É um descaso do poder público. Desrespeito às leis vigentes. A cidade segue um caos para humanos e animais”, avaliou Aline Matos, da ONG Justo Olhar. 
 
INSEGURANÇA 
O zoológico é apenas mais um equipamento público municipal que está sofrendo com a falta de vigias para fazer a segurança no período da noite. Criminosos e vândalos se aproveitam da situação para roubar escolas e postos de saúde e também depredar patrimônios públicos. Segundo relatos de pessoas que vivem próximas ao local e pediram para não serem identificadas, sem os vigias o zoológico tornou-se ponto para o consumo e tráfico de drogas. 

A Prefeitura de Montes Claros informou que repudia ações dessa natureza e diz que acionou a polícia para apuração do ocorrido.