Enquanto em Belo Horizonte um par de placas para o carro custa de R$ 60 a R$ 100, em Montes Claros os preços são três vezes maiores. A denúncia foi feita pelo Conselho de Defesa do Consumidor do município, que cobra do Ministério Público a adoção de medidas urgentes para quebrar suposto monopólio.

A reportagem de O NORTE procurou as três empresas que fabricam placas de veículos na cidade. A Osório Placas, que funciona da avenida Deputado Esteves Rodrigues, no centro, cobra R$ 170 pelo par. É o mesmo valor praticado pela Esmont Placas, na avenida Floriano Neiva, bairro São José. O maior preço de mercado é da empresa Norte Placas, na avenida Floriano Neiva, Alto São João: R$ 180. 

Na capital, a MW Placas, no bairro Gameleira, cobra R$ 60 por um par e na Equipan, próximo ao Detran, no Nova Gameleira, custa R$ 100.

“Tinha que ser R$ 60, R$ 80, nada justifica uma variação de preços tão grande em relação a Belo Horizonte”, diz o mototaxista Walter Mozer, que trabalha em frente ao UAI de Montes Claros. Ele argumenta que sempre escuta reclamação de pessoas que procuram a unidade de atendimento para regularização de seus veículos. 

O revendedor de carros Márcio César Martins diz que acha “um absurdo” os preços na cidade e região. “Em Januária, por exemplo, um par de placas custa R$ 280. Nada justifica uma diferença tão grande do Norte de Minas para Belo Horizonte porque o material é o mesmo. Estes valores aumentam muito o custo da transferência de veículos”, afirma.

Daves Silveira, da Esmont Placas, diz que os preços são estabelecidos em função dos custos de produção, de pessoal a produtos, como tinta. “Além disto, cada proprietário paga R$ 10 por placa ao Sistema de Fábrica de Placas e Nota Fiscal (Sifap)”. Na Osório Placas, o empresário Osório José de Oliveira afirma não existir entendimento sobre preços entre os fabricantes na cidade. Na Norte Placas ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto. 

A reportagem tentou conversar, por telefone, com as associações dos Fabricantes de Placas de Minas Gerais e dos Fabricantes de Placas para Veículos de Minas Gerais, sediadas em BH, mas não obteve resposta.  
 
AUTONOMIA
O Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), que registra as fábricas, diz não ter poder sobre empresas credenciadas, “que têm autonomia para cobrar o valor que considerarem conveniente”.