Você já tem aquela sacola própria para fazer as compras do supermercado ou do sacolão ou ainda utiliza sacolinhas plásticas com a desculpa de usá-las para descartar o lixo? Prefere o refrigerante na embalagem de vidro ou na garrafa PET? E separa o lixo doméstico plástico, que pode ser reciclado? 

Se sua resposta é não para essas perguntas você contribui fortemente para a poluição do planeta. O plástico é considerado um dos principais vilões do meio ambiente.

Os componentes que formam o material são os que levam mais tempo para se deteriorar e se decompor. E por esse motivo, a Semana do Meio Ambiente deste ano tem como tema “Acabe com a Poluição Plástica”, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O descarte do plástico é um desafio diário. Além dos impactos no solo, provoca poluição nos rios, mata diversas espécies nos cursos d’águas e mares e ainda entope bueiros, provocando inundações nas cidades em épocas de chuvas.

Bem perto de você, o material descartado incorretamente deve ser figurinha bem fácil. No lote vago perto de casa, no córrego que passa logo ali na frente ou na praça onde os filhos ou netos brincam. 

Segundo a Empresa Municipal de Serviços, Obras e Urbanização, em Montes Claros são recolhidas cerca de 200 toneladas de resíduos sólidos por dia e 30% deste montante poderia ser reciclado, ou seja, boa parte disso deve ser plástico.
 
REEDUCAÇÃO
“O brasileiro precisa aprender a levar a própria sacola para a feira. Isso é um método para ajudar a reduzir o número de sacolas desnecessárias no ambiente. São inúmeros os impactos negativos que o plástico causa à natureza. Os animais estão morrendo porque estão ingerindo estes materiais”, ressalta Julia Ferreira, professora da UFMG que trabalha com o tratamento e dispensação de resíduos. 

O maior mercado de plástico hoje é o de embalagens. Em todo o mundo, segundo a ONU, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto. Todos os anos são usadas até 500 bilhões de sacolas plásticas descartáveis.

“Separar o lixo por categoria deve ser um hábito diário. Em Montes Claros ainda não temos a coleta seletiva de lixo, mas existem inúmeros catadores que sobrevivem disso. Então, se cada um pelo menos separar o lixo molhado do seco já ajuda a garantir que esses catadores identifiquem o que pode ser reciclável”, explica a professora.
 
INICIATIVA
Alunos da Escola Estadual Zinha Prates plantaram mudas de árvores ao redor da escola e da Câmara Municipal. O objetivo da ação é despertar nas crianças a importância de preservar o meio ambiente. 
(*) Colaborou Christine Antunes