A oitava edição do Mutirão de Prevenção ao Câncer, da Associação Presente, atendeu apenas ontem 3 mil pessoas. A ação foi realizada na praça Doutor Carlos e contou com 220 profissionais, que realizaram atendimentos médicos gratuitos à população.

O evento contou com a participação de médicos, enfermeiros, nutricionistas e acadêmicos da área de saúde de Montes Claros e também de Belo Horizonte. Foram feitos exames de prevenção contra os cânceres de mama, boca, pele, colo uterino e próstata. 

Foi grande a procura pelos exames que identificam o câncer de próstata. As filas eram longas, o que, para a idealizadora do evento, a oncologista Priscila Miranda, pode significar a quebra de um tabu masculino. 

“A tenda onde são feitos os primeiros exames que podem diagnosticar o câncer de próstata ficaram lotadas. Isso é um bom sinal, pois muitos homens ainda têm preconceito para fazer o procedimento”, afirmou Priscila Miranda. Outro motivo para a procura, segundo ela, é a falta de urologistas na rede pública. “O exame particular é muito caro”. Ela não soube informar quantos homens se submeteram aos exames. Os números ainda serão apurados. 

A professora Alzira Guedes estava passando pela praça e resolveu fazer uma consulta para analisar a mancha que tem perto da sobrancelha. 

“Graças a Deus não é nada sério, somente uma mancha de sol que vou tratar com uma pomada. Esse evento é muito bom para população, principalmente para as pessoas carentes que não têm acesso a especialistas”, disse a educadora. 

No ano passado, 19 pessoas foram diagnosticadas com câncer durante o mutirão. Há 12 anos a Associação Presente Padre Tiãozinho atua em Montes Claros com a missão de promover assistência, cuidado e amparo a jovens, adultos e idosos carentes com câncer e atuar na prevenção e no diagnóstico precoce da doença.