A Escola Municipal Celestino Pereira Salgado, no bairro Jardim Primavera, foi a nona escola de Montes Claros invadida, depredada ou assaltada neste ano. Desta vez, os criminosos não levaram nada, mas danificaram as instalações do prédio. 

Na manhã de ontem, os funcionários da instituição encontraram 23 janelas apedrejadas, pelo menos 123 vidros foram quebrados. 

De acordo com a Polícia Militar, os autores pularam o muro e quebraram as janelas da escola. O ato foi apenas pra danificar a propriedade, que ficou sem aula ontem. 

Na tentativa de identificar os vândalos, a Guarda Municipal fez buscas na região. A suspeita é que um dos envolvidos seja um adolescente de 16 anos de idade, aluno da instituição. “Suspeitamos de um rapaz que já tem registro de vandalismo praticado no ano passado. Contudo, faltam provas. Estamos fazendo o levantamento, através das câmaras de segurança de casas vizinhas”, pontuou o secretario de Defesa Social, Anderson Chaves. 
 
SEM VIGIAS
A violência se intensificou no início do ano, após a prefeitura dispensar os vigilantes das escolas municipais. Diante da falta de pessoal, a função de monitorar os portões das escolas foi assumida por professores e secretárias, que ficam revezando o posto. 

Entramos em contato com a direção da escola. Contudo, não obtivemos resposta sobre o assunto. As aulas ocorreram normalmente hoje. 
 
OUTRAS ESCOLAS
Somente no mês de agosto, o Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Dona Ivone da Silveira, no bairro São Luís, foi arrombado três vezes. “Minha filha estuda no Caic do Maracanã e lá também já foi arrombado. Qualquer um entra ou sai da escola. Fico com receio de deixá-la, especialmente porque o muro é baixo”, conta auxiliar de limpeza, Alice Santos. 

O último caso de arrombamento nas instituições de ensino no município aconteceu em outubro. A Escola Municipal Doutor Alfredo Coutinho, no bairro Camilo Prates, foi invadida por ladrões que roubaram materiais esportivos e merenda escolar, além de armários, e quebraram carteiras. Nessa ação, os bandidos quebraram ainda o telhado do imóvel. 

Em nenhum caso os criminosos foram localizados. Tudo que foi roubado já foi reposto pelo município, garante o secretário de Educação, Benedito Saíde. Ele esclarece ainda que foram licitadas câmeras de segurança para as instituições municipais.