Espaços que poderiam ser importantes áreas de preservação da fauna e da flora locais e também áreas de lazer com uso sustentável pelos moradores estão abandonados e sendo inundados por lixo e entulho.

As lagoas do Belvedere e Interlagos poderiam ser verdadeiros oásis em meio ao concreto, mas são ignoradas pelo poder público e sofrem com esse descaso. Acabam se tornando foco de problemas e doenças e pedem socorro nessa Semana do Meio Ambiente. 

Moradores vizinhos às represas reclamam da situação na qual elas se encontram e solicitam a revitalização pelo município.

Para preservar a lagoa do Interlagos, os próprios moradores criaram o projeto Guarujá Sustentável, com o objetivo de implantar uma coleta seletiva. Porém, a ação dos vizinhos é neutralizada pela atuação de carroceiros que jogam entulhos de outros bairros no local.

“A parte da lagoa onde ficam os restaurantes e casas de festa está muito bem cuidada. Mas a região próxima das residências está desamparada. O mato tomou conta da lagoa. O lixo é trazido por moradores de outra áreas da cidade e jogam aqui. Se procurar, vai encontrar vários animais mortos, como gatos e cães dentro da lago. Já presenciei até lavagem de carro aqui e ninguém reclama por medo de retaliação”, relata o motorista Flávio Gomes. 
 
BELVEDERE
Em outra parte da cidade, no bairro Belvedere, moradores reivindicam a revitalização da lagoa que fica próximo às residências. Humberto Cardozo conta que, por meio de um grupo criado em um aplicativo de mensagens, os moradores debatem propostas para as melhorias do bairro. 

“Por ser um bairro novo, deveria receber um planejamento melhor, principalmente no que diz respeito às áreas verdes. Deveria ser feito aqui uma pista de caminhada ao redor da lagoa para abrir o local para a população”, ressalta. 

No entanto, o que se vê no local são amontoados de lixo, focos de incêndio e muito descaso. Para a dona de casa Lúcia Silva, o excesso de lixo ao redor do lago é resultado da ineficiência do serviço de coleta do município, que não segue um cronograma definido.

“O caminhão não passa nas ruas próximas à lagoa. O morador tem que levar o lixo até a esquina. Os sacos se amontoam, atraindo animais que os rasgam e espalham os resíduos. Muita coisa vai parar na lagoa”, explica Lúcia. 

A engenheira ambiental Aline Neves destaca que o descarte irregular de lixo nesses locais traz riscos à população vizinha e ao meio ambiente. 

“A conscientização dos moradores e comerciantes que ficam às margens das lagoas é algo de extrema importância, porque qualquer alteração naquela região os afeta diretamente”.

A prefeitura de Montes Claros não respondeu sobre a revitalização das lagoas do Belvedere e Interlagos até o fechamento desta edição.
(*) Texto produzido pelo estagiário