A despensa do Asilo São Vicente de Paula está mais cheia desde a última terça-feira. Bananas, mamão, tangerinas e tomates doados por caminhoneiros que estavam parados na BR-251 tornaram mais fartas as refeições de 112 idosos abrigados na instituição.

Solidariedade que chega em um momento onde há escassez de vários produtos na cidade: combustível, gás de cozinha, alimentos e água mineral. E em que os produtos dos agricultores familiares também não chegam à instituição por falta de transporte. 

“Somos muito gratos porque a ajuda aos idosos vem numa boa hora. Não estamos tendo acesso à compra direta e os alimentos não chegam dos agricultores familiares, que tradicionalmente ajudam a instituição”, diz Aniele Costa, gerente do asilo.

Na terça-feira, os caminhoneiros que estavam há vários dias na estrada tiveram a iniciativa de doar os alimentos que estavam a ponto de estragar. Com o apoio dos patrões, levaram a carga até o bairro Maracanã, um dos mais carentes da cidade, e distribuíram frutas e legumes a instituições sociais que atendem pessoas necessitadas.

Mais uma doação era esperada na tarde de quarta-feira. “É bom que seja ressaltado que qualquer ajuda para nós é importante, porque além das novas dificuldades decorrentes da falta de transporte, a instituição é mantida basicamente por doadores”.

ALEGRIA 
Segundo Aniele, ontem foi dia de festa na casa. A alegria de ter um cardápio mais diversificado estava estampada no rosto de dona Rosa Correia, a mais idosa da instituição, com 102 anos. “Não tem nada mais abençoado do que a comida”, disse emocionada. “A solidariedade, muito mais que o amor, é que move o mundo”, enfatiza.

Vicente Gomes, de 77 anos, fazia a refeição já pensando na banana que teria de sobremesa. Segundo ele, os alimentos são bem-vindos a qualquer tempo e que o gesto foi um dos mais emocionantes em décadas residindo no asilo.

No Centro de Convivência da Paróquia Nossa Senhora, a informação é a de que mais alimentos chegariam na tarde de ontem e que o gesto dos caminhoneiros seria recebido com muita alegria e carinho.
 
PARALISAÇÃO
Oficiais de Justiça foram ontem à base de distribuição de combustíveis, no bairro Industrial, com um mandado de manutenção de posse de caráter de urgência.

Desde o início da paralisação, manifestantes estão na porta da unidade. Caminhoneiros alegam que a base não está obstruída, mas policiais precisaram negociar a quantidade de veículos que saem do local para abastecer a cidade, escoltados pela Polícia Rodoviária Federal e pela Polícia Militar.

A procura por combustível segue grande na cidade e longas filas se formam para abastecimento. As dificuldades para encontrar hortifrúti, água mineral e gás também continuam. Cerca de 30 caminhões deixaram Montes Claros ontem, escoltados pela PM, para buscar botijões de gás em Betim, na Grande BH. Eles devem chegar ainda hoje. 

A maior fornecedora de ovos para a região afirmou, por meio de nota, que se não houvesse o restabelecimento do fluxo normal até ontem, faltaria ração para as aves, causando mortalidade dos animais e perda de ovos.