A creche municipal Gente Inocente não tinha extintor, sistema anti-fogo e nem alvará do Corpo de Bombeiros. A informação foi confirmada pelo coronel Primo Lara de Almeida, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, em entrevista à agência Estado. 

Ainda segundo a reportagem, o imóvel, de 200 metros quadrados, não tinha sinalização, extintores ou monitoramento de brigada. No entanto, segundo o militar, seria difícil evitar a tragédia, mesmo com todos os equipamentos disponíveis. 

“Por causa da dinâmica de como as coisas aconteceram, independentemente de ter todo o aparato, o resultado seria o mesmo, porque a queima foi muito rápida”, disse Almeida.

Segundo o coronel, a Prefeitura de Janaúba solicitou aos Bombeiros, após a tragédia, que vistoriassem todos os prédios municipais.  

INVESTIGAÇÃO
A Polícia Civil interditou a creche Gente Inocente. Segundo a assessoria da corporação, a interdição é para preservar o local. Nesta sexta-feira, policiais estão realizando os trabalhos de perícia. O delegado Bruno Fernandes é o responsável pelas investigações. 

“A investigação, agora, é para traçar o perfil psicológico dele”, afirmou o delegado.